tn_PREFEITURA LANÇA PROJETO CAMINHAR SAUDÁVEL  1
Cerca de 50 idosos participaram na manhã desta quinta-feira (9/10) do lançamento do projeto Caminhar Saudável: Circuitos com Obstáculos, promovido pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde. O objetivo é trabalhar a prevenção de quedas, uma das principais causas de hospitalização dos idosos. A ação foi realizada no pátio do Ambulatório de Especialidades (ao lado da UPA Centro) e contou com a participação de pacientes atendidos pelo Programa do Idoso. Um ônibus cedido pela Viação Petro Ita também fez parte do circuito.

tn_PREFEITURA LANÇA PROJETO CAMINHAR SAUDÁVEL“O projeto atua preventivamente em relação às quedas, visando manter a autonomia e independência dos idosos. Treinamos os pacientes sobre como lidar com as barreiras urbanísticas. Também usamos o ônibus para treinar os idosos a subir e descer do veículo de forma mais segura”, disse a geriatra do Ambulatório de Especialidades Rita Cássia Ravaglia Campos.
Os idosos aprovaram a iniciativa e participaram de todas as atividades. “É sempre importante saber um pouco mais. Andar de ônibus é sempre difícil e precisamos de auxílio”, disse a aposentada Julieta Mello de Souza, de 83 anos. A idosa Maria Thereza da Silva, de 73 anos, também elogiou o projeto. “Acho bom aprendermos a andar com mais segurança”.
Dados do Programa do Idoso revelaram que é grande o número de idosos que sofreu pelo menos uma queda neste ano. “A maior parte das quedas não resulta em morte, no entanto, a queda está associada a uma taxa mais alta de hospitalização para tratamento agudo de lesões. Além disso, a duração média de internação, para os que sofreram queda, é de 43 dias, contra os 25 dias dos que não sofreram”, informou a geriatra. Aproximadamente 47% dos pacientes internados em um hospital por queda se tornam pacientes de instituições de tratamento em longo prazo.
O programa detectou, ainda, que 20% dos idosos atendidos no Ambulatório de Especialidades sofreram pelo menos uma queda no período de março a setembro de 2014, sendo 13% em ônibus urbanos. “A queda tem dois componentes: intrínseco (idade, doenças, medicação, déficit visual, etc) e extrínsecos (do ambiente). Como a incidência de doenças do sistema osteomuscular é relativamente baixa (4,6%) pode-se dizer que o fator ambiental tem mais relação com esta taxa alta de quedas”, explicou Rita.
A partir deste projeto, novas ações serão desenvolvidas. “Vamos aumentar essa parceria com a geriatra do Ambulatório de Especialidades e trabalhar com as equipes dos Postos de Saúde da Família. Essa é uma demanda que vem dos próprios médicos”, comentou a coordenadora do Programa do Idoso, Maria Thereza Oliveira. Também será feita uma parceria com a Viação Petro Ita para realização de reuniões com motoristas de ônibus, para sensibilização.
No fim das atividades foi oferecido um café da manhã. Além disso, cestas com produtos de higiene foram sorteados. “O trabalho realizado pela médica é maravilhoso. Adorei ter participado desse projeto”, disse a aposentada Maria Rita da Costa, de 80 anos, uma das vencedoras do sorteio.

Ascom PMP