Tunel

A conservação da serra onde passa a atual pista, indenizações financeiras às famílias que terão casas desapropriadas na Duarte da Silveira e a segurança do túnel de cinco quilômetros foram algumas das questões garantidas pelo presidente da Concer, Pedro Jonsson, à comissão da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) que acompanha as obras da nova pista de subida da serra. Presidida pelo deputado Bernardo Rossi (PMDB), a comissão vistoria as obras nesta sexta-feira (22.08). Em audiência pública na nesta quarta-feira (20.08), Jonsson, disse que a empresa quer inaugurar a nova estrada dia 18 de junho de 2016.
“Vamos fiscalizar o que está sendo anunciado hoje começando pela questão da desapropriação de casas que envolve 30 famílias. Uma comissão dessas famílias vai ser recebida pela empresa na terça-feira (26.08) com a Concer dando informações precisas sobre desocupação, indenizações e prazos”, afirma Bernardo Rossi. Jonsson apresentou à Comissão compromisso de atender as famílias não apenas na questão financeira a que têm direito, mas com apoio social.
Representantes de entidades petropolitanas presentes à audiência cobraram cumprimento dos prazos e se posicionaram contra prorrogação de contrato da concessionária e a transformação da atual pista em estrada-parque. Melhorias na pista atual também foram cobradas, assim como a antecipação da ligação Bingen-Quitandinha, última etapa prevista.
“A obra da nova estrada é essencial para a cidade, mas fica claro, a cada audiência, que não há integração entre a concessionária, o poder concedente e a sociedade. Também há aberrações quanto ao valor da obra, a forma com que está sendo aditivada atrelando uma prorrogação de contrato ao atraso de parcelas do aporte de R$ 750 milhões que o governo federal fará na intervenção”, aponta Bernardo Rossi.
Relator da Comissão, Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PMDB), engenheiro de formação, analisa o projeto da obra e pediu apresentação em separado do projeto de construção do túnel de cinco quilômetros, intervenção que, segundo Jonsson, conta com especialistas europeus. “Você não pode errar na execução do túnel. Medidas de segurança estão sendo tomadas”, garantiu.
Sobre o futuro da atual pista Jonsson afirmou que “petropolitanos podem ficar sossegados”. “A estrada vai continuar sobre a administração da Concer e ocupações irregulares serão combatidas”, afirmou, apesar de novas moradias estarem sendo erguidas às margens da rodovia desde 1995 quando a empresa assumiu a operação da estrada.
Luiz Paulo lamentou a ausência de representantes do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) na audiência. “A questão ambiental também é preocupação tanto na estrada nova quanto na atual”, aponta. Também não compareceram à audiência representantes da empresa Única, de transporte de passageiros.
A audiência foi acompanhada por Beatriz Fonseca, analista do Ministério Público Federal; Fernando Varella, da NovAmosanta, ONG em defesa dos distritos; Antônio Pastori, Jorge De Botton e Renato Araújo, da Frente Pró-Petrópolis e por Frederico Peixoto, coordenador de infraestrutura viária da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

 

Tarifa aumenta sem cumprimento do contrato

Bernardo Rossi, Luiz Paulo e Geraldo Moreira (PTN), que também acompanhou a reunião, protestaram contra o reajuste da tarifa que entrou em vigor nesta quarta-feira com pedágio subindo para R$ 9, aumento de 12,5%. O repudio foi endossado por representantes da sociedade civil organizada. “O atrelamento de atrasos nas parcelas de recursos federais à prorrogação de contrato da Concer nos deixa refém de um modelo antigo de concessão. O fim do contrato traria uma nova licitação e preço mais baixo”, afirmou Renato Araújo, da Frente Pró-Petrópolis.
“Queremos a obra e ele é urgente para a cidade, mas o petropolitano vai seguir penalizado com um dos pedágios mais caros do país com o cenário atual de concessão. Toda essa documentação está sendo remetida ao Ministério Público em uma representação já aberta e também ao Tribunal de Contas da União (TCU) pedindo providências quanto a isso”, completa Bernardo Rossi.

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação