MóveisMais de 90 empresas são beneficiadas em Petrópolis

Até 2033, a indústria de movelaria do Estado do Rio vai estar sob regime de tributação diferenciada de ICMS. Um dos porta-vozes do setor junto ao governo estadual e também na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj),o deputado Bernardo Rossi (PMDB) anunciou a empresários do setor na cidade a entrada da lei em vigor nesta quarta-feira (20.08). Nos próximos cinco anos, as empresas vão recolher 2% de ICMS e entre 2018 e 2033, a alíquota será de 3%. Petrópolis tem mais de 90 micro, pequenas e médias empresas beneficiadas com a lei. Atualmente, a indústria de móveis reúne 1.500 empresas, responsáveis por 16 mil empregos em cidades fluminenses.
“A iniciativa do governo do Estado beneficia diretamente um segmento econômico importante de Petrópolis, por isso abracei a ideia e trabalhamos junto ao parlamento para aprovar o projeto que hoje se tornou lei. É uma vitória para todo o setor fluminense, mas essencial para Petrópolis”, aponta Bernardo Rossi.
Hoje, 83% das empresas que compõem esse segmento estão concentradas nos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais e Espírito Santo e respondem por cerca de 80% da mão de obra empregada no setor. O Estado do Rio,, apesar de ser o segundo maior mercado consumidor de móveis do Brasil, perdeu posição de destaque nas últimas décadas, tem participação de apenas 1,5% no mercado nacional, mas pesquisas apontam em sua recuperação. Nos 70, o setor no Estado chegou a ser responsável por 12% da produção nacional . “È possível voltar a ter este crescimento e temos convicção de que a redução do ICMS vai dar o gás que o segmento precisa”, aponta Bernardo Rossi.
O pólo moveleiro de Petrópolis é formado por 28 lojas concentradas principalmente na Rua Bingen e por cerca de 90 indústrias de pequenos e médios portes espalhadas pelo município. Pesquisa de 2006 da Fundação Getúlio Vargas encomendada pelo Sistema FIRJAN aponta para a recuperação do setor moveleiro fluminense. O estudo mostrou que a Região Serrana, depois da Baixada fluminense, é a área onde os empresários mais investiram em modernização e aquisição de equipamentos nos últimos cinco anos.

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação