Gilda Beatriz

A Câmara Municipal aprovou na tarde de ontem, projeto de autoria da vereadora Gilda Beatriz (PMDB), criando na Rede Municipal de Educação, ciclo de palestras de conscientização sobre a importância da doação de sangue, visando alcançar os alunos do ensino fundamental (6º ao 9º ano), ensino médio (1º ao 3º ano) e educação de jovens e adultos (EJA). A vereadora disse que apresentou o projeto, tendo como princípio que a educação é o processo de desenvolvimento, não somente intelectual, mas também de cidadânia e solidariedade.

Na avaliação da vereadora Gilda Beatriz, o Poder Executivo vem se preocupando em minimizar as dificuldades de atendimento na área da saúde no Município, assim como o Legislativo Municipal, através de leis e contribuições junto ao Governo. “Mecanismos diversos vem sendo colocado em prática para que a saúde pública tenha um rumo mais objetivo no pronto atendimento de nossa população. Buscando colaborar com tais mecanismos, pensamos que a educação e o investimento nos jovens é o melhor caminho, também, para garantirmos um futuro de maior conscientização quanto à doação de sangue e o abastecimento dos bancos de sangue da cidade”, frisou.

Na sua opinião, o processo de formação integral da criança, desde o primeiro ano na escola, deve passar pelo ensino do conhecimento, pela quebra de tabus, principalmente o preconceito “e neste sentido está incluído a doação de sangue e de órgãos”. A vereadora não tem dúvida de que “se os futuros cidadãos brasileiros forem formados a partir de uma cultura da solidariedade, do acolhimento e aceitação do diferente, vamos ter uma sociedade justa e fraterna e não enfretaremos problemas com a falta de sangue e órgãos, fundamentais para salvar vidas”.

De acordo com o projeto, os estudantes assistirão uma palestra, por semestre do ano letivo, equivalendo a duas aulas do período de um dia, apresentado por um professor cuja disciplina englobe a área biológica com a finalidade de salientar a importância da doação de sangue para salvar vidas. Ainda de acordo com o projeto, o palestrante dividirá o tempo de aula em duas sessões, sendo que a primeira será expositiva, onde serão apresentados filmes, slides e/ou transparências e atividades lúdicas baseadas no assunto.

Já na segunda parte, os palestrantes responderão às perguntas que tenham surgido por parte dos estudantes durante a explanação. Para que o trabalho esteja totalmente vinculado a grade curricular e trabalho desenvolvido na escola, os palestrantes serão profissionais ligados a Rede Municipal de Ensino e da Saúde, e que façam estas palestras de forma a contribuir gratuitamente com o programa.

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação