tn_VENEZA BRASILEIRACapital de Pernambuco, que recebe a competição em 10 de agosto, oferece boa variedade de opções para quem quer correr na cidade

A cidade apelidada de “Veneza brasileira” reserva experiências inusitadas para quem escolhe desbravar suas ruas correndo. Seja buscando inspiração para o esporte num jardim de esculturas gigantes de cerâmica, ou descansando a bordo de um catamarã para observar desde monumentos históricos até os mangues repletos de garças e jacarés, os amantes das corridas contam com opções que fogem ao comum, no Recife. Com essa variedade, a capital de Pernambuco é uma das escolhidas para sediar o Brazil Run Series/Circuito de Corridas CAIXA, dia 10 de agosto.

“Os atletas não gostam de treinar sempre no mesmo lugar. Por isso, estou sempre buscando alternativas para os treinos da minha equipe, para sair da mesmice”, conta Anízio Lopes, técnico à frente da Corredor Endorfinado. “A Oficina Brennand oferece o visual bucólico da arte do escultor (Francisco Brennand, considerado o maior escultor vivo do Brasil, com obras espalhadas por todo o Recife, incluindo o obelisco do Marco Zero). Mas também tem uma reserva de Mata Atlântica, com aves silvestres, riachos e criação de animais. É como se você estivesse num outro mundo, mesmo tão perto. O terreno é ideal, de barro batido, com várias opções de trilhas. Quem vai correr lá quer voltar sempre.”

No centro do Recife, o Beira Rio é outra atração para os corredores. A equipe Corredor Endorfinado costuma atravessar o Rio Capibaribe no bairro da Torre para correr, e termina o treino fazendo a travessia de volta num dos catamarãs no cais do porto do Recife. As margens do rio ainda ajudam a amenizar a temperatura alta do nordeste, aumentando o rendimento na corrida, e fazem parte do percurso da etapa de Pernambuco do Brazil Run Series/Circuito de Corridas CAIXA.

“Várias pontes no centro da cidade interligam os bairros do Recife Antigo. Nós fazemos treinos de 18 km no Marco Zero, e depois retornamos pelo dique que deu origem ao nome da cidade, os arrecifes no cais do porto. O lugar é cheio de museus, casario antigo, fortes. É possível ver a Casa do Frevo e a Praça do Arsenal, onde fica a Torre Malakoff”, indica Anízio. “O bairro da Torre abrigava fábricas de tecidos, e passamos por lá pelo Rio Capibaribe, de barco, para relaxar depois da corrida, vendo os mangues que Chico Science tanto citava em suas músicas”.

Toda entrecortada por rios, Recife também oferece praias exuberantes para os corredores, com águas esverdeadas e coqueiros, como a famosa Boa Viagem, que forma piscinas naturais na maré baixa. Os morros da zona norte, como o da Conceição, onde foi realizada nesta quinta-feira (17) a festa em homenagem à santa padroeira da cidade, Nossa Senhora do Carmo, são opções para quem busca resistência física.

“Quem vem a Recife correr pode montar um pequeno tour depois das provas que são realizadas no centro da cidade”, sugere Anízio. Sua equipe, a Corredor Endorfinado, terá participantes na etapa pernambucana do Brazil Run Series/Circuito de Corridas CAIXA pelo terceiro ano consecutivo. As inscrições para a prova seguem disponíveis no site oficial do evento, www.circuitocaixa.com.br, com o valor de R$ 80,00. Atletas maiores de 60 anos têm direito ao desconto de 50% sobre esse valor.

Realizado desde 2004, o Circuito CAIXA conta com a chancela da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), e passa por quatro das cinco regiões brasileiras. Depois das provas em Salvador (13/4), Uberlândia (3/5), Campo Grande (11/5), Belo Horizonte (25/5) e Goiânia (8/6), a competição ainda terá etapas em Fortaleza (3/8), Recife (10/8), Porto Alegre (31/8), Ribeirão Preto (11/10), Curitiba (19/10), Brasília (23/11) e São Paulo (30/11). As 12 corridas somam pontos para o Ranking CBAt/CAIXA de corredores de rua. Os dez primeiros colocados no ranking, no masculino e no feminino, garantem o patrocínio da CAIXA para 2015.