tn_Estacionamento ônibus de turismo (1)


Guichês na rodoviária do Bingen foram lacrados e baias de ônibus interditadas


“Temos o primeiro caso confirmado de coronavírus na cidade. Se for registrado qualquer desobediência dos decretos municipal ou estadual, a minha ordem é dar voz de prisão”, afirmou o prefeito Bernardo Rossi, que pessoalmente liderou as equipes na fiscalização do cumprimento do decreto municipal na Rodoviária do Bingen nesta quinta-feira (19.03). No momento da ação, foi flagrada a chegada de coletivos de Juiz de Fora e do Rio de Janeiro. Os guichês de venda de passagens foram lacrados e as baias de ônibus foram fechadas com cones e faixas. “Sabemos que países e estados que não tomaram essas decisões mais rápidas estão sofrendo hoje”, reforçou o prefeito Bernardo Rossi.

 

Desde a última terça-feira (17), um decreto estadual já determinava a proibição da circulação de linhas intermunicipais entre a Região Metropolitana (na qual Petrópolis foi considerada) e os demais municípios, e que também suspendeu por 15 dias a entrada de linhas interestaduais de coletivos com origem em estados que já tenham casos confirmados de coronavírus ou que tenham decretado situação de emergência.

 

Pela determinação municipal – que começou a valer hoje (19) – ônibus que chegam de cidades da Região Metropolitana do estado com casos de coronavírus, com suspeita ou que tenham declarado situação de emergência – incluindo o Rio de Janeiro – não podem entrar na cidade por 15 dias. Além disso, também está valendo no município a proibição da entrada de veículos de turismo.

 

“Ninguém está feliz ou satisfeito com todas essas medidas que estamos tomando, mas é necessário que os empresários entendam o momento que estamos vivendo. Sabemos que é uma medida dura, mas o mais importante agora é proteger a população, salvar vidas. Nossas equipes estão nas ruas para garantir o cumprimento do decreto”, disse o prefeito.

 

Após a vistoria na Rodoviária do Bingen, o prefeito também esteve no Meio da Serra, acompanhando as equipes da prefeitura que fiscalizavam os ônibus da Trel. O Procon notificou a empresa por infringir uma determinação do poder público. A orientação é para impedir que os ônibus desta empresa acessem o município. “Esse cinturão sanitário é fundamental para evitar a proliferação do coronavírus. É mais do que necessário evitar as aglomerações e o trânsito de pessoas. Fiquem em casa, por amor àqueles que mais precisam”, apelou o prefeito.

 

O Procurador Geral do município, Sebastião Medici, relatou que o governo já prepara uma ação civil pública para que as linhas da empresa Trel, que transportam passageiros do município de Magé para Petrópolis, não embarquem passageiros e não comecem a viagem do ponto de origem. Para a empresa Única a determinação solicitada será o cumprimento na integralidade do decreto, que prevê o cancelamento da venda de passagens e que todas as viagens intermunicipais sejam canceladas durante o período de 15 dias.

 

“Se essas empresas continuarem a infringir o decreto estabelecido, possivelmente serão penalizadas. Espero que o bom senso prevaleça neste caso, e possamos proteger a vida dos petropolitanos”.

 

Outras medidas previstas:


As ações emergenciais do governo municipal para prevenção ao contágio do novo coronavírus em Petrópolis foram publicadas no Diário Oficial do dia 17 de março. Os decretos relacionam o fechamento dos parques municipais, suspensão de cirurgias eletivas e funcionamento das academias. O corte do fornecimento de água também está suspenso.

 

Pelo prazo de 15 dias estão suspensas as cirurgias eletivas, o funcionamento dos pontos turísticos do município e a abertura dos Parques Municipais, como Parque Municipal Prefeito Paulo Rattes, Parque Natural Municipal e Parque Cremerie, e áreas de lazer. O atendimento do Procon ao público também está suspenso. Bares, restaurantes e lanchonetes podem funcionar até as 22h, com redução de 30% (trinta por cento) da capacidade de lotação, com normalidade de entrega e retirada de alimentos no próprio estabelecimento. Nos estabelecimentos, as mesas deverão estar dispostas com distanciamento mínimo de 1,5 metros uma das outras.

 

Os decretos também pedem que a população não frequente cachoeiras e a instalação e o funcionamento de um ponto de apoio para os Distritos. Nas unidades de saúde que fazem atendimento ambulatorial, como UBS, Centro Odontológico e Centro de Saúde, serão disponibilizados dois funcionários capacitados para acolhimento dos pacientes com suspeita do novo coronavírus e posterior encaminhamento ao ponto de apoio.

 

Coordenadoria de Comunicação Social
Prefeitura Municipal de Petrópolis