tn_Foto

 

Enquanto os estudantes se preparam para o início do ano letivo em fevereiro, o movimento para a compra do material escolar já começou. Com o objetivo de auxiliar o consumidor a encontrar o melhor preço, o Procon Petrópolis realizou uma pesquisa que apontou uma diferença de até 500% no valor de um mesmo produto, encontrado em quatro papelarias no Centro da cidade. A equipe do órgão foi a campo no início da semana e fez um comparativo de 42 produtos.

Segundo a divulgação da Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares e Escritórios (Abfiae), o material escolar este ano ficará em média 8% mais caro nas papelarias – acima da inflação oficial, que deve ficar em torno de 4%. Para ajudar o consumidor petropolitano, a equipe do Procon pesquisou o preço dos principais itens escolares como caneta, lápis, borracha, caderno, cola, lápis de cor, régua, apontador, entre outros.

“Os responsáveis precisam estar atentos aos preços e pesquisarem antes de comprar para que consigam economizar. O Procon realiza as pesquisas para ajudar os petropolitanos a encontrar os melhores preços”, destacou o prefeito Bernardo Rossi.

Enquanto em uma papelaria uma borracha Kit a unidade custa R$ 0,25 por exemplo, em outra custa R$ 1,50 – uma diferença de 500% no valor dos produtos. A pesquisa apontou também diferença de mais de R$ 20 entre valores de materiais. O caderno capa dura de 10 matérias da marca Tilibra custa R$ 10,50 e em outro local R$ 31,90, uma diferença de 204% no valor.

Vale lembrar que a lista de material solicitada pelas escolas não pode conter itens de uso coletivo como produtos de limpeza, higiene e objetos de uso profissional. A lista deve conter única e exclusivamente o material de uso individual do aluno, necessário para o desenvolvimento dos estudos.

“O mais importante é que o consumidor pesquise antes de efetuar a compra do material escolar. E na unidade escolar não se pode esquecer que os responsáveis devem ficar atentos a lista de material. Por exemplo, a escola pode sugerir produtos, mas sem caracterizar venda casada, indicando marcas ou locais de compras, a opção de compra é sempre uma escolha do consumidor”, frisou o coordenador do órgão, Bernardo Sabrá.

Dúvidas podem ser tiradas no Procon, que fica na Rua Dr. Moreira da Fonseca, 33, ao lado da Câmara dos Vereadores, e na unidade de Itaipava funciona no Centro de Cidadania, na Estrada União e Indústria, 11.860. Para realizar os atendimentos os usuários podem utilizar, ainda, o serviço de mensagem da página do Facebook do Procon Petrópolis, os telefones 2246-8469 / 8470 / 8471 / 8472 / 8473 / 8474 / 8475 / 8476 e 8477. Os telefones da unidade em Itaipava: 2222-1418 / 7448 e 7337, ou WhatsApp Denúncia no número 98857-5837. O atendimento pelo site pode ser acessado pelo link http://www.petropolis.rj.gov.br/procon/index.php/fale-conosco.

 

tn_Lista comparativa

 

 

 

Coordenadoria de Comunicação Social
Prefeitura Municipal de Petrópolis