Sem título

A votação vai até dia 23/09, quando o vencedor será anunciado em Milão durante o The Best Fifa Football Awards

Silvia Grecco não imaginava que ao levar o seu filho Nickollas, que é cego e autista, ao Allianz Parque para a partida contra o Corinthians no ano passado promoveria uma mudança radical na vida de ambos. Depois de aparecer na TV narrando os lances do jogo para o pequeno torcedor de 12 anos foram vários pedidos de entrevistas, filmagens e aparições em eventos. Nickollas e a mãe, de repente, tornaram-se torcedores símbolo do Palmeiras.

 

O sucesso foi tanto que a dupla alcançou fama internacional e agora concorre ao prêmio de fã do ano pela FIFA. O prêmio faz parte do The Best FIFA Football Awards, que será realizado em Milão na próxima segunda-feira, 23 de setembro, e que premiará, também, os melhores jogadores e jogadoras do ano, técnicos de destaque, além do gol mais bonito da temporada.

 

“Tudo aconteceu na nossa vida muito rápido. Não pedimos para que acontecesse, simplesmente aconteceu. Não sou heroína, sou mãe, sou guerreira, vivo com ele e para ele! Luto diariamente por ele e por tantos outros. Estar no estádio e narrar o jogo para o Nickollas sempre foi rotina. A partir do instante que alguém nos viu com os olhos e nos enxergou com o coração, tudo passou a ter uma dimensão maior”, diz Silvia.

 

A visibilidade conquistada pela cena de carinho de mãe para filho tornou-se uma forma de ampliar o debate sobre acessibilidade e inclusão de pessoas com deficiência. Nickollas nasceu de cinco meses, pesando 500g e com cegueira total – por conta da prematuridade as suas retinas não se formaram. Silvia passou por um longo processo de adoção até que conseguisse trazê-lo para a sua família. Somente mais tarde veio o diagnóstico do autismo.

 

“Hoje entendo tudo isso como uma missāo. O mundo ama futebol, o Brasil sempre foi o país do futebol. Então esse esporte amado por todos vai nos ouvir. Vai ser nosso instrumento… vai ser a nossa voz. Vamos levar essa mensagem de inclusão sempre e com muito amor. Representamos nosso time, o Palmeiras, e todas as torcidas que respeitam as pessoas com deficiência. Não é apenas futebol!”.

 


#pracegover: Fotografia exibe uma mulher falando algo no ouvido de um garoto. Estão sentados na arquibancada do estádio Allianz Parque, ambos vestindo a camisa do Palmeiras.

 

 

 

 

 

 

Sobre os torcedores

Silvia Grecco é mãe de Nickollas, que nasceu de cinco meses fruto de uma gravidez interrompida, pesando 500g e com cegueira total – por conta da prematuridade, as suas retinas não se formaram corretamente. Foram longos quatro meses de espera e internação até que Silvia conseguisse finalizar o processo de adoção e trazer Nickollas para casa. O diagnóstico de autismo veio apenas anos mais tarde. Como desde cedo Nickollas demonstrava interesse por futebol (principalmente pelo Palmeiras), Silvia passou a levá-lo para o estádio, narrando cada lance da partida.

 

Instagram

www.instagram.com/nickollasgrecco

 

 
Texto: Assessoria
Foto: Divulgação