tn_Líricas Modernas, Líricas Negras, Líricas Transcendentes e Líricas Históricas


Sesc Tijuca recebe oficinas, roda de conversa e apresentações dos quatro circuitos: Líricas Modernas, Líricas Negras, Líricas Transcendentes e Líricas Históricas 

 

Promovida pelo Sesc, o Sonora Brasil, maior iniciativa brasileira de circulação musical tem como temas a presença da mulher na música brasileira e composições dos Povos Originários do Brasil. A partir do sábado, dia 21 de setembro até dia 27 de setembro, a unidade da Tijuca será porta-voz das questões femininas ligadas à música brasileira. O Sesc Tijuca receberá oficinas, rodas de conversa e apresentações dos quatro circuitos que compõem o projeto este ano: Líricas Modernas, Líricas Negras, Líricas Transcendentes e Líricas Históricas. 

 

Abrindo as apresentações do projeto, o grupo Líricas Negras, composto pelas cantoras Geórgia Câmara, Negravat, Rosa Reis e Vanessa Melo, apresenta repertório de músicas relacionadas às tradições religiosas de matriz africana e obras que remetem aos elementos estéticos da cultura africana, somando vozes de resistência a elementos percussivos. Também traz obras de compositoras negras que exploraram outras abordagens, em contextos que se relacionam com a música de concerto e com a música popular, ampliando o espectro desta produção para além da segmentação racial.

 

No dia seguinte, domingo (22 de setembro), sobe ao palco do Sesc Tijuca o grupo Líricas Transcendentes, formado por Déa Trancoso, Ceumar e Cátia de França. A performance apresenta repertório relacionado às tradições musicais do meio rural e de composições inspiradas neste universo, considerando o uso da música como meio de comunicação com as divindades, sempre enfatizando o protagonismo da mulher neste contexto, seja como intérprete, seja como tema da obra. Nesta abordagem, a espiritualidade se sobrepõe à técnica e à estética, fazendo valer o aspecto transcendente da obra.

 

Na quarta-feira, dia 25 de setembro, o teatro do Sesc Tijuca recebe o público para uma roda de conversa com todas as cantoras que compoem os quatro circuitos do Sonora Brasil. A ideia é conversar com os presentes sobre formas de dar visibilidade à produção das mulheres, sobre como valorizar a produçao artistica feminina e sinalizar os avanços e a presença das mulheres nas mais diversasvertentes musicais.

 

Às 20h, na quinta-feira (dia 26 de setembro), apresenta-se o grupo Líricas Históricas. Formado pelas cantoras Gabriela Geluda, Anastácia Rodrigues, Priscilla Ermel e Vanja Ferreira, apresenta cronologicamente um repertório que traz à luz a obra e a história de compositoras representantes de várias fases da música brasileira, especialmente a de concerto, muitas delas sem reconhecimento público, apesar de uma produção relevante.

 

Finalizando as apresentaçoes do projeto, o grupo Líricas Modernas. Formado por Lucina, Badi Assad e Regina Machado, aborda repertórios da atualidade, com estética mais próxima da música popular, porém ricos em elementos que os distinguem de obras consagradas nos meios de difusão, valorizando a experimentação e o uso de recursos expressivos inovadores, especialmente na voz.

 

Oficinas valorizam a música brasileira

O Sesc Tijuca também receberá, no período, oficinas e roda de conversa. No dia 21 de setembro, o público poderá conferir, gratuitamente, a oficina de Iniciação à Percussão através dos Ritmos Brasileiros, ministrada por Georgia Camara, do grupo Líricas Negras. A oficina busca introduzir técnica e musicalmente os instrumentos de percussão através de sua prática em ritmos brasileiros. Serão observadas complementarmente durante o processo noções de timbre, pulso e subdivisão. Os padrões rítmicos realizados pelos instrumentos serão apresentados, executados pelo participante, e sugere-se que haja troca de instrumento entre os presentes, para que se amplie a noção sobre o universo dos instrumentos de percussão, e para melhor compreensão de sua composição em naipe, tão característica das diversas manifestações populares brasileiras. Entre os possíveis estilos a serem trabalhados estão o Choro, o Samba, o Jongo, o Baião.

 

No dia 22 de setembro, também às 14h, a oficina A Lembrança de si mesmo será ministrada por Déa Trancoso, do Líricas Transcendentes. Nesta oficina, os participantes trabalharão a voz física e material [abertura, polifonia, nota demorada e breve, cânones] passeia pela voz metafísica fundamental imanente [chão, coração e céu], motivando uma viagem minuciosa para dentro, a partir de qualidades transcendentes da música que desenvolvem a capacidade de ver. Trabalha ainda o conceito de “composição aquariana”, baseado no conceito de “música espontânea”, dos músicos Djalma Corrêa e Stênio Mendes, que consiste na coragem de improvisar e experimentar a lúdica individualidade criadora que nos habita [instinto e intuição], explorando timbres, texturas, estéticas e mixagens de tradições milenares. No dia 25 de setembro, todos os integrantes do Líricas Modernas, Líricas Históricas, Líricas Transcendentes e Líricas Negras participarão de um roda de conversa, às 18h, para falar sobre a presença e influencia das mulheres na música brasileira.

 

Na quinta-feira, dia 26 de setembro, às 14h será a vez da oficina Prática de Conjunto, seguida, no dia 27 de setembro, da Oficinas Badi, às 20h.  Badi é uma das raras artistas que mescla distintas influências em seu trabalho. Ainda jovem aprendeu a tocar violão. Primeiramente visitou o universo da música erudita, depois se aprofundou na música instrumental brasileira. Em sua oficina, Badi compartilha formas diferentes de se ouvir e experimentar música. Mesclando várias técnicas como as do ‘circle singing’ (improvisação), coordenação motora e conexão espírito-corpo-mente-música. O objetivo é ampliar o horizonte musical.

 

Sonora Brasil chega à sua 22ª edição com números que justificam o título de maior projeto de circulação musical do país. Promovido pelo Sesc, já alcançou 750 mil pessoas, com 6.098 concertos, de 85 grupos, em mais de 150 cidades brasileiras. Ao todo, 431 músicos já se apresentaram no circuito, que a cada biênio aborda duas temáticas diferentes e promove a circulação dos artistas por todas as regiões brasileiras. Em 2019/2020 os temas apresentados serão “Líricas Femininas – A presença da mulher na música brasileira” e “A Música dos Povos Originários do Brasil”.

 

tema “Líricas Femininas – A presença da mulher na música brasileira” busca dar visibilidade à produção das mulheres, que por muito tempo foi pouco reconhecida. Ao todo serão 14 artistas, compositoras e intérpretes que apresentarão ao público em quatro circuitos os programas compostos exclusivamente por obras de compositoras e letristas brasileiras reunidas especialmente para o Sonora Brasil.

 

Os circuitos estão divididos em: Líricas Modernas, Líricas Negras, Líricas Transcendentes e Líricas Históricas. Entre as artistas escolhidas estão Badi Assad, violonista, cantora e percussionista, conhecida por um estilo marcado pela versatilidade de linguagens – vocal, instrumental, cênica e corporal; Cátia de França, cantora, compositora e multi-instrumentista, cujas composições já foram gravadas por grandes nomes da MPB, como Elba Ramalho, Amelinha e Xangai; Gabriela Geluda, soprano, mestra em música antiga pela Guildhall School of Music and Drama – Londres; e Rosa Reis, cantora maranhense, que apresenta a música da tradição popular caminhando pelos palcos, dialogando entre os ritmos dos terreiros e das festas populares.

 

Até o fim de 2019, os 63 artistas dos dois temas farão 350 apresentações, em 97 cidades. O tema “Líricas Femininas” circulará pelas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste enquanto o tema “A Música dos Povos Originários do Brasil” seguirá pelas regiões Norte e Nordeste. No ano seguinte os grupos invertem as regiões fazendo com que todos circulem por todo o país.

 

SERVIÇO

SESC TIJUCA
Dia: 21/09 – sábado

Grupo – Líricas Negras

Local: Teatro

Endereço: R. Barão de Mesquita, 539 – Andaraí, Rio de Janeiro – RJ

Horário:  20h

Ações complementares: Iniciação à percussão através dos ritmos brasileiros – 14h.

 

Dia: 22/09 – Domingo

Grupo – Líricas Transcendentes

Local: Teatro

Endereço: R. Barão de Mesquita, 539 – Andaraí, Rio de Janeiro – RJ

Horário:  19h

Ações complementares: A Lembrança de si mesmo Déa Trancoso – 14h.

 

Dia: 25/09 – quarta-feira

Roda de Conversa – Grupos – Líricas Modernas, Líricas Históricas, Líricas Transcendentes e Líricas Negras

Local: Teatro

Endereço: R. Barão de Mesquita, 539 – Andaraí, Rio de Janeiro – RJ

Horário:  18h

 

Dia: 26/09 – quinta-feira

Grupo – Líricas Históricas

Local: Teatro

Endereço: R. Barão de Mesquita, 539 – Andaraí, Rio de Janeiro – RJ

Horário:  20h

Ações complementares: Oficina Prática de Conjunto – 14h.

 

Dia: 27/09 – sexta-feira

Grupo – Líricas Modernas

Local: Teatro

Endereço: R. Barão de Mesquita, 539 – Andaraí, Rio de Janeiro – RJ

Horário:  20h

Ações complementares: Oficina Usina da Voz Lucina – 14h.