tn_5 

4.320 jovens visitaram a feira nessa semana

Iniciativa da Secretaria de Educação

 

“Ler é ganhar asas para o mundo”.

 

Não existe conhecimento sem leitura e, para despertar a atenção dos jovens alunos da rede municipal de Educação, o poder público viabilizou a visita de 4.320 estudantes da rede municipal de Educação na XIX Bienal do Livro, que ocorreu nessa semana no Rio Centro. Com transporte e um cartão bienal, os estudantes visitam os stands, descobriram novos autores e garantiram uma experiência inesquecível. O passeio já rendeu frutos: na EM Abelardo de Lamare, um projeto criado pelos alunos permitirá que todos possam ler os exemplares adquiridos durante a visita na Bienal.

“Gostei muito. É sempre interessante participar de atividades diferentes. Nunca vou esquecer”, disse a estudante Maria Oliveira, de 13 anos, aluna da EM João Kopke.

Os alunos são de 48 escolas da rede municipal e visitaram a Bienal entre os dias 30 de agosto e 8 de setembro. Cada aluno recebeu um cartão bienal com valor R$ 11 que pôde ser trocado por um livro no evento. As escolas fizeram concursos internos para a seleção dos alunos que participaram da visita nesse ano – matriculados no segundo segmento do ensino fundamental.

“É uma experiência inesquecível, passear nos stands, conhecer autores e descobrir novos títulos. Com essa ação, esperamos fortalecer essa geração de leitores e queremos que eles sejam multiplicadores de conhecimento entre os jovens”, afirmou o prefeito Bernardo Rossi.

Maria Fernanda Oliveira, também aluna da EM João Kopke, salientou a experiência fora do ambiente escolar. “Acho legal conhecer outros lugares, ficamos animadas”.

A professora de Língua Portuguesa e Inglês, Catarina Meirinho, salientou as novas descobertas. “Eles são jovens, se interessam por muitas coisas e a visita a Bienal é um estimulo, não só a leitura, mas, ao conhecimento. O contato com o livro nos permite explorar novos mundos”.

 

Deu certo: do passeio a criação da “Ciranda de Livros”

 

Para a diretora da EM Abelardo de Lamare, Jaqueline Fraguas, só a ida ao Rio com os alunos já foi algo de televisão: “Como eles falam”, conta Jaqueline, acrescentando que poucos já tiveram, antes da Bienal, a oportunidade de participar de um evento fora da cidade.

“Ao chegar na Bienal, a primeira coisa que os encantou foi receber um cartão para comprar livros. Já no primeiro pavilhão na entrada os olhos brilhavam, alguns choraram de emoção. Como educadora, acredito que o mais importante dessa experiência tenha sido o final do passeio. Quando aguardávamos o ônibus para ir embora, cada um mostrando ao outro o livro que comprou, ali iniciou o processo de formação de cidadãos leitores. Já estavam até combinando a troca de livros, no estilo, quando acabar de ler, me empresta!”, contou Jaqueline.

E foi a partir dessa experiência que os alunos da EM Abelardo de Lamare criaram a “Ciranda de Livros”.

“Uma aluna teve a ideia. Os alunos vão ler os seus livros e emprestar para os amigos, até que todos tenham a oportunidade de ler todos os livros adquiridos na Bienal. Tem algo mais importante que isso? Estou emocionada! Estamos encantados, os pais também. Agradeço a Secretaria de Educação pelo incentivo à leitura. Todos saíram de lá encantados. Momento único”, completou a diretora. Ao todo, 68 alunos matriculados do 6º ao 9º ano da EM Abelardo de Lamare, visitam a Bienal.

“Nossos alunos precisam participar de eventos assim, pois somos o resultado do que vemos, do que vivemos. Enquanto unidade escolar, seremos eternamente gratos pela oportunidade concedida de levarmos nossos alunos, pois acreditamos, que por meio da leitura, podemos mudar realidades, mudar vidas. Eles estão mais motivados e isso contribuirá para uma melhor aprendizagem”, explicou a diretora da EM Luiz Carlos Soares, Derminda de Souza Barbosa.

 

Bienal:

 

A Bienal do Livro Rio é o maior evento literário do país. Durante dez dias, o Riocentro sediou a festa da cultura, da literatura e da educação. Nos espaços dedicados às atrações, o público pôde participar de debates, bate-papos com personalidades e escritores, além das atividades culturais que promovem a leitura. Em sua última edição, reuniu mais de 640 mil pessoas e 300 autores.

 

Diversão e leitura: alunos da rede municipal se encantam com a XIX Bienal Internacional do Livro

4.320 jovens visitaram a feira nessa semana

Iniciativa da Secretaria de Educação

 

“Ler é ganhar asas para o mundo”.

 

Não existe conhecimento sem leitura e, para despertar a atenção dos jovens alunos da rede municipal de Educação, o poder público viabilizou a visita de 4.320 estudantes da rede municipal de Educação na XIX Bienal do Livro, que ocorreu nessa semana no Rio Centro. Com transporte e um cartão bienal, os estudantes visitam os stands, descobriram novos autores e garantiram uma experiência inesquecível. O passeio já rendeu frutos: na EM Abelardo de Lamare, um projeto criado pelos alunos permitirá que todos possam ler os exemplares adquiridos durante a visita na Bienal.

“Gostei muito. É sempre interessante participar de atividades diferentes. Nunca vou esquecer”, disse a estudante Maria Oliveira, de 13 anos, aluna da EM João Kopke.

Os alunos são de 48 escolas da rede municipal e visitaram a Bienal entre os dias 30 de agosto e 8 de setembro. Cada aluno recebeu um cartão bienal com valor R$ 11 que pôde ser trocado por um livro no evento. As escolas fizeram concursos internos para a seleção dos alunos que participaram da visita nesse ano – matriculados no segundo segmento do ensino fundamental.

“É uma experiência inesquecível, passear nos stands, conhecer autores e descobrir novos títulos. Com essa ação, esperamos fortalecer essa geração de leitores e queremos que eles sejam multiplicadores de conhecimento entre os jovens”, afirmou o prefeito Bernardo Rossi.

Maria Fernanda Oliveira, também aluna da EM João Kopke, salientou a experiência fora do ambiente escolar. “Acho legal conhecer outros lugares, ficamos animadas”.

A professora de Língua Portuguesa e Inglês, Catarina Meirinho, salientou as novas descobertas. “Eles são jovens, se interessam por muitas coisas e a visita a Bienal é um estimulo, não só a leitura, mas, ao conhecimento. O contato com o livro nos permite explorar novos mundos”.

 

Deu certo: do passeio a criação da “Ciranda de Livros”

 

Para a diretora da EM Abelardo de Lamare, Jaqueline Fraguas, só a ida ao Rio com os alunos já foi algo de televisão: “Como eles falam”, conta Jaqueline, acrescentando que poucos já tiveram, antes da Bienal, a oportunidade de participar de um evento fora da cidade.

“Ao chegar na Bienal, a primeira coisa que os encantou foi receber um cartão para comprar livros. Já no primeiro pavilhão na entrada os olhos brilhavam, alguns choraram de emoção. Como educadora, acredito que o mais importante dessa experiência tenha sido o final do passeio. Quando aguardávamos o ônibus para ir embora, cada um mostrando ao outro o livro que comprou, ali iniciou o processo de formação de cidadãos leitores. Já estavam até combinando a troca de livros, no estilo, quando acabar de ler, me empresta!”, contou Jaqueline.

E foi a partir dessa experiência que os alunos da EM Abelardo de Lamare criaram a “Ciranda de Livros”.

“Uma aluna teve a ideia. Os alunos vão ler os seus livros e emprestar para os amigos, até que todos tenham a oportunidade de ler todos os livros adquiridos na Bienal. Tem algo mais importante que isso? Estou emocionada! Estamos encantados, os pais também. Agradeço a Secretaria de Educação pelo incentivo à leitura. Todos saíram de lá encantados. Momento único”, completou a diretora. Ao todo, 68 alunos matriculados do 6º ao 9º ano da EM Abelardo de Lamare, visitam a Bienal.

“Nossos alunos precisam participar de eventos assim, pois somos o resultado do que vemos, do que vivemos. Enquanto unidade escolar, seremos eternamente gratos pela oportunidade concedida de levarmos nossos alunos, pois acreditamos, que por meio da leitura, podemos mudar realidades, mudar vidas. Eles estão mais motivados e isso contribuirá para uma melhor aprendizagem”, explicou a diretora da EM Luiz Carlos Soares, Derminda de Souza Barbosa.

 

Bienal:

 

A Bienal do Livro Rio é o maior evento literário do país. Durante dez dias, o Riocentro sediou a festa da cultura, da literatura e da educação. Nos espaços dedicados às atrações, o público pôde participar de debates, bate-papos com personalidades e escritores, além das atividades culturais que promovem a leitura. Em sua última edição, reuniu mais de 640 mil pessoas e 300 autores.

 

Coordenadoria de Comunicação Social
Prefeitura de Petrópolis