IF Márcio Marques, diretor do Instituto Rio

 

Tratamentos vão desde o uso de cremes específicos até a remoção da enervação interna do dente.

 

Ninguém gosta e nem deve sentir dor, mas essa sensação tem uma função importante. A de alertar sobre algo que não vai bem. A sensibilidade nos dentes também, e no inverno o incômodo pode ser ainda maior. É sinal de que os dentes precisam de cuidados especiais.

 

A água gelada é a causa mais comum dessa sensação que pode ser tão intensa a ponto de causar dor. O cirurgião dentista Márcio Marques, do Instituto Rio, explica como acontece esse processo.

 

“A dentina (parte do dente que dói quando fica exposta) é percorrida por uma rede de microtúbulos. Dentro deles há o prolongamento do nervo. Os túbulos podem ser mais abertos ou mais fechados, o que aumenta ou não a permeabilidade e, consequentemente, a sensibilidade”, esclarece o dentista.

 

O especialista acrescenta que os nervos permitem perceber se há algo ameaçando o dente e que a ausência total de sensibilidade não é exatamente positiva. Ela acontece com o passar dos anos no processo natural de envelhecimento.

 

“A partir de 70, 80 anos de idade é possível que a pessoa comece a perder a sensibilidade. Isso porque a polpa (parte do dente composta por nervos e vasos sanguíneos) vai se calcificando”, diz Márcio Marques, acrescentando que em um caso como esse, a pessoa pode levar muito tempo até perceber que tem uma cárie, por exemplo, o que permite que o quadro se agrave.

 

Ainda assim, não há motivos para gostar dessa dorzinha incômoda. Geralmente, o primeiro passo para tentar acabar com ela é usar cremes dentais dessenbilizantes. Os produtos podem, inclusive, fazer parte da rotina e do uso diário.

 

O segundo passo é hibridizar a dentina. Segundo o cirurgião dentista, o procedimento consiste em fazer um “selamento” dos canais.

 

A terceira opção é restaurar o dente, fazendo uma barreira física entre o meio externo e a polpa.

 

“O último recurso é tratar o canal. O procedimento remove a enervação interna do dente, deixando-o mais frágil e quebradiço. É uma alternativa usada apenas quando todos os outros recursos se esgotam”, conclui o especialista do Instituto Rio.

 

A clínica multidisciplinar Instituto Rio tem sede em Petrópolis, na Serra do RJ, e em Cabo Frio, na Região dos Lagos. Os endereços são Rua Marechal Deodoro, 119, salas 12 a 14, no Centro de Petrópolis, e Av. Teixeira e Souza, nº 2.277, sobreloja, no Braga, em Cabo Frio. Mais informações pelos telefones (24) 2231-0365 e (22) 2647-6242.

 

Texto: Fernanda Soares
Foto: Divulgação