tn_unnamed (14)

 

 

A noite de sábado (10.08) do Bunka-Sai foi marcada por muita música, dança e pelo anúncio dos vencedores do Concurso Amador de Fotos de Cerejeiras. O Palácio de Cristal, palco do festival de cultura japonesa, ficou cheio e presentes puderam conferir, no fim da programação, a mistura de canções de MPB com a língua do país asiático.

“É mais um evento lindo, que está crescendo a cada ano, e que enriquece a programação cultural da nossa cidade. Mais uma vez os petropolitanos e turistas puderam aproveitar o melhor da cultura japonesa e, como consequência, aqueceram a economia do município”, disse o prefeito Bernardo Rossi.

O grupo Rio Nikkei Taiko encantou o público que pode acompanhar uma apresentação da típica música de percussão japonesa. Para o Bunka-Sai, 25 pessoas subiram a Serra e mostraram composições criadas com uso de tambores.

“Nosso grupo existe desde 2003 e é formado por 60 pessoas, desde crianças até idosos, orientais e não-orientais. Todos são voluntários. O Bunka-Sai é o festival de cultura japonesa e representa uma oportunidade de levarmos essa cultura tão bonita para todos. E ver a participação do público, a interação deles, essa é a nossa felicidade”, disse o coordenador do Rio Nikkei Taiko, Mario Matsumoto.

O casal Paulo e Jacy Maia, moradores do bairro Mauá, veio pela primeira para curtir a programação do Bunka-Sai. Eles não esconderam o quanto gostaram do Taiko.

“Só tinha visto pela televisão, mas ao vivo assim foi maravilhoso. Para mim, que completei 88 anos no dia 31, foi um presente de aniversário. Nota 1.000″, contou ela.

“Mais uma vez a gente tem que tirar o chapéu para a prefeitura em um evento cultural. Acho que a festa podia ser até maior”, elogiou ele.

A jovem Letícia Machado, que mora no Siméria, mostrou na festa como o Bunka-Sai pode trazer influências para Petrópolis. Em meio aos mangás que ela vendeu durante a festa, se vestiu com trajes usados na moda japonesa, uma técnica para ficar parecidas com bonecas – no caso dela, uma “Lolita”.

“Eu conheci essa moda em uma oficina aqui no Bunka-Sai e agora é o segundo ano que eu me visto assim durante a festa. Está tudo muito bom. A festa está muito bem organizada, ficou tudo ótimo”, afirmou ela.

O cantor Noboru Fujita fez um espetáculo para mais de 150 pessoas com músicas que estão no CD dele, “Verdade Bem e Belo”. Uma das canções, em tradução para o português, chama “Floresce a Flor”, criada para ajudar na reconstrução do Japão depois terremoto seguido de tsunami (e que causou um acidente nuclear) no Nordeste do país em 2011. A letra fala da nostalgia das lembranças da terra antes da destruição e que a música fará o sorriso atravessar a tristeza.

“É o meu segundo ano no Bunka-Sai e vejo que todos os que se envolvem na organização são muito esforçados e tem muita vontade de mostrar a cultura deles para as próximas gerações. Festas como essa são importantes para manter viva a nossa cultura. Tenho certeza que todo japonês que puder vir algum dia para cá vai se emocionar”, falou o cantor, que vive no Brasil há 25 anos e também trabalha no consulado japonês no país.

Para fechar a noite, a cantora Anna Hannickel trouxe um repertório especial para esta edição do Bunka-Sai. Ela cantou música popular brasileira, mas com algumas frases em japonês. Canções como “Eu te Devoro” e “Codinome Beija-flor” ganharam versões que ela apresentou pela primeira vez no Palácio de Cristal.

“Foi uma preparação de bastante tempo, para aprender a dicção e os fonemas corretos. Há dois anos eu havia cantado na abertura do Bunka-Sai o hino japonês, mas cantar músicas brasileiras em japonês, será minha estreia aqui. O Bunka-Sai está lindo e isso gera muita mídia para Petrópolis, é uma festa que está divulgando o nome da cidade para fora”, disse a cantora.

“Nós tivemos uma programação intensa nessa noite, valorizando a cultura do canto japonês. E foi mais um dia de casa cheia por aqui, comemorando os 111 anos de migração dos primeiros japoneses”, declarou o presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esporte, Marcelo Florêncio.

Concurso de Fotos de Cerejeiras premia vencedores

Também na noite de sábado, foram anunciados os vencedores do Concurso Amador de Fotos de Cerejeiras, tanto na categoria infantil quanto entre os adultos. Os vencedores foram o jovem João Miguel Rezende e Tiago Marcelino, respectivamente.

A partir do dia 20, o Centro de Cultura Raul de Leoni fará uma exposição com todas as fotos participantes, quando o público poderá conhecer de perto as fotos que levaram os prêmios.

As cerejeiras – sakuras, como são chamadas no Japão – começaram a surgir em Petrópolis em 1995, quando quatro agremiações nikkeis do estado, em comemoração aos 100 anos da assinatura do “Tratado de Amizade, Comércio e Navegação entre Brasil e Japão”, plantaram 300 mudas de “sakura” em Petrópolis. Na ocasião, além do Lago do Quitandinha, também foram plantadas mudas no Museu Imperial e no Palácio Rio Negro. No ano passado, elas também ganharam um reforço com o plantio de 110 mudas doadas pela “Comissão dos 110 anos da Imigração Japonesa no Brasil”, no Parque Municipal, em Itaipava. E, no mês passado, mais 52 mudas foram doadas pela Associação de Campismo do Rio de Janeiro, Grupo Amigos do Rio para o espaço.

Enquanto no Japão, as sakuras, florescem entre o fim de março e início de abril, começo da primavera, no Brasil, a floração acontece entre os meses de julho e agosto. Quem pretende admirar a beleza dessas árvores precisa aproveitar o momento, já que período de florada das cerejeiras dura rápidos 15 dias.

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação