CNI realiza seminário para discutir o papel das micro e pequenas empresas no crescimento econômico

Com apoio do Sebrae, evento debaterá ainda temas como marketing digital e tendências do crédito para esses empreendimentos. Encontro será realizado em Brasília na próxima quarta-feira (26/6)

Especialistas e representantes do governo e do setor produtivo discutirão, em encontro na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI), em Brasília, os caminhos para as micro e pequenas empresas (MPE) se desenvolverem e sua participação na retonada da economia. A CNI realizará, com o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o 6º Seminário Pense nas Pequenas Primeiro, na quarta-feira (26/06). As inscrições são gratuitas e podem ser feitas na página  da confederação.

Durante o seminário, serão discutidos temas como o papel dos pequenos negócios na recuperação do crescimento econômico; a utilização do marketing digital e das novas mídias nos pequenos negócios; e os avanços e as tendências do crédito para esses empreendimentos.

“No atual momento econômico, é fundamental uma articulação entre os Três Poderes para aperfeiçoar a política pública brasileira para as micro e pequenas empresas. Essa medida contribuirá para a melhoria do ambiente de negócios e para a geração de emprego e renda no país”, afirma o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

Hoje, as micro e pequenas empresas representam 99% do total de empresas privadas no Brasil, respondem por 27% do Produto Interno Bruto (PIB, a soma de bens e serviços produzidos no país) e são responsáveis por 55% do total de empregos formais existentes no país.

Para o presidente do Sebrae, Carlos Melles, a força dos pequenos negócios comprova a importância de se discutir alternativas para tornar o ambiente de negócios mais propício ao crescimento das micro e pequenas empresas. “O governo já deu passos importantes. A Empresa Simples de Crédito (ESC), o Cadastro Positivo e a MP da Liberdade Econômica são exemplos de medidas pensadas para destravar processos e impulsionar a produtividade. Portanto, é hora de agirmos. É hora de pensarmos em formas eficientes de implementação das leis recentemente sancionadas”, diz Melles.

O diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, Carlos Eduardo Abijaodi, afirma que o fortalecimento das MPEs passa pelo acesso ao crédito. “O crédito deve estar disponível para viabilizar o período de retomada do crescimento e do investimento. Precisamos vencer os tradicionais obstáculos no acesso ao crédito: alto custo, garantias e burocracia. Nossa expectativa é de que as novas tecnologias vão permitir grandes avanços nessa área”, diz.

As pequenas empresas são fundamentais na geração de emprego e renda no país. Os pequenos negócios voltaram a responder pela geração de novos empregos. Segundo levantamento feito pelo Sebrae, baseado nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, em abril deste ano, as MPE concentraram a criação de 93,7 mil postos de trabalho formais. O saldo foi quase três vezes maior que o gerado pelas média e grandes empresas e representou 72,3% do total de empregos gerados no país neste mês, que foi de 129,6 mil.

PROGRAMAÇÃO – A abertura do seminário será às 9h30, com o o tema “O papel das MPEs na recuperação do crescimento. Às 11h, Ana Tex, que é uma das maiores especialistas em marketing digital do Brasil, falará sobre o uso das novas mídias como ferramenta para alavancar os negócios. Segundo ela, o objetivo é conversar com os micro e pequenos empresários sobre as oportunidades que o marketing digital abre para eles. De acordo com a especialista, medidas simples, por exemplo por meio das redes sociais, podem contribuir para uma escalada de resultados dentro das empresas.

“Vou dar dicas de táticas simples e de fácil aplicação, além de apresentar estratégias para auxiliar os empresários a abrir a mente, a fim de que eles mesmos busquem mais informações”, diz Ana. “O marketing digital abre oportunidades para negócios locais, para lojas online, para profissionais liberais e até mesmo para transformar os empreendedores em influenciadores digitais”, afirma.

No período da tarde, a programação do evento traz um painel com o tema “Avanços e Tendências do Crédito”. Especialistas debaterão assuntos como cadastro positivo, que traz uma lista dos consumidores considerados “bons pagadores”, e fintechs, que são startups que aplicam tecnologia de forma intensiva para oferecer produtos na área de serviços financeiros.

Um dos debatedores falará sobre o tema “finanças de proximidade e novas tendências de crédito.
REDE NAC – Com o objetivo de auxiliar micro e pequenas empresas a conseguir financiamento, a CNI criou em 2016 a Rede de Núcleo de Acesso ao Crédito (NAC). Trata-se de uma estrutura de atendimento realizado a partir das federações estaduais de indústrias. No dia a dia, profissionais da rede oferecem serviços padronizados de orientação, capacitação, assessoria e consultoria ao crédito, por equipe qualificada, com vistas à aproximação entre demanda e oferta de crédito.

O NAC é coordenado pela CNI, por meio de sua Gerência Executiva de Política Industrial. Desde a sua criação, a rede realizou mais de 11,8 mil atendimentos e auxiliou as micro, pequenas e médias empresas a contratar mais de R$ 320 milhões de crédito. Empresas interessadas em receber orientação dos profissionais da rede devem procurar a federação das Indústrias de seu estado ou acessar a página do NAC.

 

6º SEMINÁRIO PENSE NAS PEQUENAS

Quando: Quarta-feira, 26/06/2019

Horário: 09:00 – 16:00

Local: Sede da CNI em Brasília – Auditório Ed. Armando Monteiro Neto

SBN, Quadra 01, Bloco I

Asa Norte – Brasília – DF

Inscrições: gratuitas na página da CNI.

 

PROGRAMAÇÃO

Clique aqui para conferir a programação do seminário.

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA SEBRAE