tn_Saúde bucal de crianças da rede pública é avaliada pela Secretaria de Saúde

O cuidado com a saúde bucal das crianças atendidas pela rede pública de saúde foi foco do trabalho feito pela Secretaria de Saúde em parceria Faculdade de Medicina de Petrópolis/Faculdade Arthur de Sá Earp Neto (FMP/FASE). Com o apoio da Secretaria de Educação, foi realizado um levantamento sobre os índices de prevalência de cárie em dentições de leite e permanente, em crianças de 5 a 12 anos de idade. A pesquisa, feita em 26 instituições de ensino, envolveu 1025 crianças e o resultado segue a tendência nacional.

O levantamento mostra que, entre as crianças com dentição de leite, 60% das que tinham cinco anos de idade já apresentavam cáries; entre as crianças de 8 anos, esse índice ficou em 69%. Das análises das crianças com dentes permanentes, o maior número de casos de cárie está entre as crianças de 12 anos, entre as quais, 60% apresentou algum tipo de alteração. A partir desse levantamento solicitado pela Secretaria de Saúde, vai ser traçado um plano para oferecer maior orientação e, consequentemente, qualidade no que se refere à saúde bucal das crianças.

“Essa foi uma importante pareceria que vai ajudar nossos profissionais a identificar as maiores necessidades dos usuários da rede pública. Contamos com profissionais e estamos estruturando a rede para buscar avanços no que ser refere a saúde bucal no município”, destaca o prefeito Bernardo Rossi, que destacou a importância do trabalho em conjunto feito entre as secretarias em busca da melhoria da qualidade de vida da população.

O mapeamento proposto pela Secretaria de Saúde contou com o apoio da Secretaria de Educação que abriu as portas das instituições de ensino, para que os alunos de Odontologia da FMP/FASE realizassem a pesquisa. Uma equipe de 17 alunos e dois professores, realizaram todas as análises que vão possibilitar planejamento de ações. “Solicitamos esse estudo para que pudéssemos ter conhecimento da demanda ao que ser refere à saúde bucal das crianças. Uma das medidas é o aumento da nossa rede de atendimento odontológico no município, que já está sendo providenciada”, destaca a secretária de Saúde, Fabíola Heck.

De acordo com a coordenadora do curso de Odontologia da FMP/FASE, Vera Soviero, os resultados identificados na pesquisa não ficam longe do que é observado nacionalmente. “Uma das principais causas para os casos que identificamos é a pouca ação preventiva adotada pela população e isso ocorre muitas vezes por falta de orientação”, destaca Vera, ressaltando que alguns casos mais graves identificados em crianças avaliadas na pesquisa, já estão sendo tratados no Ambulatório Escola.

Um dos passos para a ampliação do atendimento odontológico adotados pelo município é a criação de mais oito equipes de Estratégia de Saúde Bucal da Rede de Atenção Básica. Três foram implantadas nesta quarta-feira (12.06) com a inauguração da nova Unidade Básica de Saúde da Posse. As próximas serão nas unidades de saúde do Amazonas (Quitandinha), São Sebastião e Alto Siméria. “Já começamos a ampliar essa rede a partir da nova unidade da Posse e vamos continuar a implantação ao longo do ano”, reforça a secretária de Saúde, Fabíola.

A partir do primeiro semestre de 2019 o projeto de Tratamento Restaurador Atraumático (TRA) será implantado nas instituições de ensino da rede pública. “É uma proposta de tratamento, fora do ambiente de consultório, feito dentro do ambiente escolar”, explica a secretária. Atualmente, o município tem o serviço de saúde bucal implantando com 30 equipes que atuam em unidade com Estratégia da Saúde da Família; 8 em Unidades Básicas de Saúde; uma equipe em cada Centro de Saúde – Centro e Itamarati; uma em cada Unidade de Pronto Atendimento; além dos tratamentos especializados no Hospital Alcides Carneiro e nos dois Centros de Especialidades Odontológica, no Centro e em Corrêas.

Coordenadoria de Comunicação Social
Prefeitura de Petrópolis