tn_Casa da Educação (1)Seis municípios participarão do encontro na Casa da Educação Visconde de Mauá


Ação da UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e UNDIME (União dos Dirigentes Municipais de Educação) através de parceria entre a Secretaria de Saúde, Assistência Social e Educação, o programa Busca Ativa Escolar tem como objetivo promover a inclusão social e erradicação da evasão escolar. O programa possibilita que municípios e estados consigam dados concretos que possibilitam planejar, desenvolver e implementar políticas públicas que contribuam para a inclusão nas escolas e é justamente para trocar informações e experiências sobre o programa que será realizado na próxima sexta-feira (17.05), às 9h30, na Casa da Educação Visconde de Mauá, um seminário com a participação dos comitês gestores dos seis municípios do Estado do Rio que fazem parte do Polo 3 do Programa Busca Ativa Escolar.

“O programa é um aliado dos municípios e governos e em Petrópolis as secretarias estão trabalhando em conjunto para garantir o uso completo do sistema. O sistema é alimentado pelos servidores quando as escolas observam o risco de evasão escolar. Dado o alerta, as equipes das secretarias envolvidas passam a acompanhar o caso e tomam as providências necessárias para garantir o acompanhamento da criança, procuram a família e alertam os demais setores do poder público que podem ajudar. Tudo é feito para evitar a evasão escolar”, explica o prefeito Bernardo Rossi.

Participarão do seminário integrantes dos comitês das cidades: Itaboraí, Belford Roxo, Teresópolis, Petrópolis, Rio das Ostras e São João de Meriti.

O Programa auxilia os governos na identificação, registro, controle e acompanhamento de crianças e adolescentes que estão fora da escola ou em risco de evasão.

“O alerta é dado quando é notado um possível caso de evasão escolar. Quando o aluno começa a faltar, prontamente os agentes envolvidos no processo já buscam informações sobre o caso e começam a investigar as causas do problema e de que forma as secretarias podem ajudar as famílias”, explica Ana Paula Valle, responsável pelo Departamento de Inspeção Escolar da Secretaria de Educação e gestora do Comitê Petrópolis.

Até o momento, por causa do Busca Ativa Escolar em Petrópolis, já foram registrados 35 casos de (Re) Matricula, ou seja, casos em que os alunos já se encontram matriculados e estão em observação para que se mantenham na unidade escolar.

O encontro será ministrado pela gestora do Polo 3 do programa, Roberta Castro. “Em Petrópolis já realizamos uma formação com os diretores e estamos avançando, aperfeiçoando o uso do programa e tirando dúvidas dos agentes envolvidos no processo”, afirma a secretária de Educação, Marcia Palma.

 

Como funciona o programa:

Todo o processo do Busca Ativa Escolar pode ser feito pela internet e a ferramenta pode ser acessada em qualquer dispositivo, como computadores de mesa, computadores portáteis, tablets, celulares (SMS) e smartphones. No Busca Ativa Escolar, cada secretaria ou grupo têm um papel específico, que vai desde a identificação de uma criança ou adolescente fora da escola até a tomada das providências necessárias para a matrícula e a permanência do aluno ou aluna na escola. Os diretores alimentam os dados dos alunos e realizam o monitoramento de frequência regularmente. Decorrido um ano e não tendo sido constatado problema com a criança ou o adolescente (re)matriculado, o caso recebe o estado Concluído. Caso seja verificada a evasão, o caso recebe o estado Fora da escola.

 

Coordenadoria de Comunicação Social
Prefeitura de Petrópolis