tn_Tradição na Semana Santa Feira do Pescado segue até sexta-feira

São 30 barracas na Rua Visconde de Sousa Franco

Mais de 25 toneladas de peixes e frutos do mar estão à venda durante a Feira do Pescado, que começou nessa quinta-feira (17.04) e segue até a sexta-feira Santa. Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, a expectativa é de que nos três dias de feira a movimentação econômica seja de R$ 1 milhão.

“Os feirantes estão mais animados nesse ano. São mais de 25 toneladas de peixe, 30 barracas e uma clientela fiel que há mais de 40 anos faz questão de comprar na feira. A movimentação econômica deve girar em torno de R$ 1 milhão porque estão à venda produtos comuns como sardinha e cavalinha, mas há também, os mais caros como o salmão e até mesmo o camarão. É uma ótima opção para os petropolitanos e também para os feirantes que conseguem lucrar um pouco mais nessa época do ano”, afirma o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Fiorini.

O preço médio do quilo do pescado gira em torna de R$ 20. Segundo os feirantes, os produtos mais procurados na feira são: corvina, tira-vira, cação, namorado, tilápia, filé de linguado, filé de merluza, sardinha, cavalinha, camarão e salmão.

Luís Claudio Cleffs atua há 42 anos na feira e destaca a importância da tradição na cidade. “Desde criança eu participo da feira, uma tradição na família. São produtos de qualidade e que conquistam clientes fiéis. Na minha barraca eu vendo peixes diferentes que as pessoas não costumam achar em Petrópolis, como peruá e anchova e a expectativa para esse ano está alta. Queremos aumentar as vendas”, disse Luis Claudio.

Cintia Cândido também vende peixes há 12 anos na feira e está otimista. “Nos preparamos para a feira selecionando os melhores produtos para os clientes. Costumamos vender peixes que são mais fáceis para limpar para facilitar a vida principalmente das donas de casa. Temos salmão e tilápia para todos”, contou Cintia.

A feira vai funcionar nessa quinta-feira (18.04), das 6h às 22h e na sexta-feira (19.04) das 6h às 14h.

“A expectativa é de movimento maior na quinta-feira, dia em que tradicionalmente as pessoas buscam a feira do pescado para encontrar os peixes que estarão na mesa na sexta-feira Santa. Mas na sexta a venda continuará para aqueles que deixarem as compras para a última hora”, explicou José Maurício Soares, diretor do Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

“A venda de peixes é uma tradição na minha família há mais de 20 anos. Fazemos o que gostamos. Vale a pena conferir a feira. Os peixes fazem parte de uma alimentação balanceada e todos devem aproveitar essa oportunidade para comprar na feira”, contou Miriam Aparecida dos Santos.

 

Maria da Silva, aposentada, fez questão de comprar já no primeiro dia de feira. “Aproveitei para garantir a cavalinha para o meu almoço de sexta-feira. É uma tradição de família comprar peixes nessa época e eu faço questão de comprar na feira”.

A auxiliar de serviços gerais Ana Paula da Câmara comprou sardinha e cavalinha e ainda ensinou o truque para garantir uma refeição gostosa. “Vale a pena comprar na feira porque temos certeza que os peixes estão frescos. Eu fiquei bastante satisfeita. Para fazer sucesso é necessário comprar os peixes frescos, temperar com bastante limão e alho e passar pela farinha de milho. Não tem erro!”, contou.

A feira ocorre por meio da parceria entre o Departamento de Agricultura, da secretaria de Desenvolvimento Econômico, Comdep, que realiza a limpeza do lugar e CPTrans, que organiza o trânsito. Além disso, a Enel realiza a ligação de energia para as barracas e a Guarda Civil reforça a segurança. Todos os feirantes usam uniformes.

 

 

Coordenadoria de Comunicação Social
Prefeitura de Petrópolis