tn_Terreiro da Fazenda AlliançaTerreiro da Fazenda Alliança

Fazendas históricas do RJ tem cultivo de café aberto à visitação

O dia internacional do café, em 14 de abril, traz motivos para lembrarmos da trajetória e novas tendências com relação ao grão cuja bebida vive popularidade crescente no mundo todo. O produto, que tem o Brasil como segundo maior consumidor, passa por momento de gourmetização, com maior foco no sabor e qualidade do que propriamente no efeito da bebida. O que especialistas chamam de “terceira onda do café”, em que o rastreamento da produção e práticas sustentáveis são fundamentais para o reconhecimento da qualidade do café, pode ser conferida pelos turistas que visitam o Vale do Café, região turística do sul do Rio de Janeiro.

 

 

tn_DegustaçãoDegustação de café na Fazenda União 

A relação do café com a região data do século XIX, que teve auge de produção do grão entre as décadas de 1850 e 1880, quando municípios como Vassouras, Valença, Barra do Piraí e Rio das Flores, entre outros, foram responsáveis pela produção de 80% de todo café consumido no mundo. Com a abolição da escravatura, arrasamento do solo e decorrente queda do preço do grão, o cultivo extensivo de café desapareceu. Felizmente preservadas, algumas fazendas históricas ainda existem e podem ser visitadas, oferecendo em sua arquitetura e mobiliário importante registro de uma época.

 

 

tn_imagem_release_1657624Cafés da Fazenda Alliança 

 

Projeto resgata o plantio cafeeiro

 

Reunindo 5 fazendas históricas já em atividade turística na região, o projeto “Vocações Regionais da Cultura Fluminense”, realizado pelo Sebrae Rio, sob gestão da analista Lidia Espíndola, atualmente conduz etapa final no processo de implementação. Segundo ela, a ideia do Sebrae foi aproveitar a proximidade da região com a cultura do café e unir a demanda dos visitantes à tendência no consumo de café de alta qualidade.

 

“Durante o Festival Vale do Café, apoiado pelo Sebrae Rio, os visitantes, sempre encantados com a história, perguntavam-se por que não podiam ver os pés de café. Poucas fazendas abertas à visitação ainda mantinham a cultura, e decidimos ampliar essa prática incluindo novas propriedades produtoras e afinando o processo dos cultivos já existentes”, conta Lidia.

tn_Fachada da Fazenda UniãoFachada da Fazenda União 

 

 

Primeiras colheitas

 

Após 2 anos de trabalho, a Fazenda União, em Rio das Flores, espera a primeira safra comercial para maio deste ano. Os 9 mil pés de café Arábica produzirão cerca de 70 sacas, que serão vendidas internamente em forma de bebida e em grãos aos visitantes da fazenda.

 

Na União a visita começa pela sede da fazenda, famosa pelo rico acervo histórico, com itens de museu, e continua com breve caminhada até o cafezal, para explicação da produção e posterior degustação. Como parte do projeto, a fazenda prepara um jardim de variedades para apreciação, com espécies do Brasil Império como Typica, Bourbom amarelo, Bourbom vermelho, entre outras.

 

“Na implantação e manejo do cafezal, recebemos, com apoio do Sebrae Rio, orientação do professor Flavio Borem, da Universidade Federal de Lavras, especialista em cafés especiais, que sugeriu a irrigação por gotejamento. Um mostra do nosso solo foi enviada à Universidade para avaliação e posterior enriquecimento. Tudo indica que teremos um grão de excelente qualidade”, conta o empresário Mário Vasconcelos, proprietário da Fazenda União.

 

Especial e orgânico

 

Na Fazenda Alliança, em Barra do Piraí, toda a produção é orgânica, incluindo o novo cafezal, que já está em processo de colheita, toda feita manualmente. A visita começa com apresentação do original circuito de lavagem e seleção de café, algo único na região, criado pelo antigo proprietário, o Barão de Rio Bonito. Os visitantes percorrem o caminho do grão, que era levado por água até o terreiro de secagem. Após, seguem para o plantio do grão, que embeleza o morro, em curva de nível, entendendo-se por área de mais de 2,2 hectares.

 

Com proposta agroecológica de produção de hortaliças, frutas e búfalas orgânicas, a Fazenda Alliança já possuía produção espontânea de café sombreado, remanescentes do café original, que aparece como ingrediente de bolos e doces servidos ao fim da visita. Também está no cardápio o queijo de minas orgânico, feito a partir do leite de búfala produzido na fazenda.

 

“Nosso intuito é em breve oferecer um café personalizado, com secagem natural e torra definidos de acordo com o desejo de cada cliente. A produção é exclusiva, propositalmente em pequena escala, possibilitando um contato com todo o processo de produção do grão.”, conta a arquiteta Josefina Durini, proprietária da Alliança.

 

Para Lidia, além de vender um produto de alto padrão, o objetivo é agregar a história e tradição da região na produção do grão. “Participando desse movimento em que o café deixa de ser commodity para tornar-se um produto diferenciado, plantado e colhido com cuidado, a região agrega qualidade à sua imagem, abrindo caminho para o reconhecimento de demais produtos da região.”.

 

 

Visita à Produção de Cafés Especiais no Vale do Café, RJ.

 

Hotel Fazenda União

(Rio das Flores, RJ)

Visitação guiada com historiador pela casa sede e passeio pelo cafezal.

Reservas: (24) 99915-1210 | www.fazendauniao.com.br

 

Fazenda Alliança

(Barra do Piraí, RJ)

Visita pelo antigo circuito e café e visitação ao cafezal orgânico.

Reservas: (24) 99327-0248 Whatsapp | (24) 99277-6664| fazendaallianca.com.br

 

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação