Melo e Kubot são vice-campeões do Masters 1000 de Indian WellsFinal foi disputada na noite deste sábado (16), diante do croata Mektic e do argentino Zeballos, que marcaram 2 sets a 1 para ficar com o título. Dupla encerra o torneio com um balanço positivo e na próxima semana jogará em Miami o segundo Masters 1000 da temporada

 

Marcelo Melo e Lukasz Kubot são vice-campeões do Masters 1000 de Indian Wells, nos Estados Unidos. Neste sábado (16), a dupla cabeça de chave número 6 disputou a final diante do croata Nikola Mektic e do argentino Horacio Zeballos, que marcaram 2 sets a 1, parciais de 4/6, 6/4 e 10-3, em 1h28min, para ficar com o título. Esta foi a 14ª final de Masters 1000 da carreira de Marcelo – a sexta ao lado de Kubot. Com o vice, aparecerá no próximo ranking mundial individual de duplas da ATP como sexto do mundo. Kubot será quinto. Melo e Kubot já tinham sido finalistas em Indian Wells em 2017. Na próxima semana, a partir do dia 20, jogarão em Miami (EUA) o segundo Masters 1000 do ano.

Melo e Kubot encerram o Masters 1000 de Indian Wells com um balanço muito positivo, apesar de não terem conquistado o título. Foram quatro vitórias, com atuações de destaque, confiança e concentração nos momentos decisivos para chegar à final, superando quatro match tie-breaks. Um deles na semifinal, na sexta-feira (15), diante do número 1 do mundo em simples, o sérvio Novak Djokovic, e o italiano Fabio Fognini.

Neste sábado, diante de Mektic e Zeballos, começaram a partida com uma quebra, fazendo 1/0. Os adversários devolveram na sequência, 1-1. Mas, Melo e Kubot, com mais um break, marcaram 3-2, abriram 4-2, e fecharam em 6/4. O segundo set foi muito equilibrado. E os adversários conseguiram o break em um momento que não permitiu nenhuma reação, no décimo game, quando venciam por 5/4, marcando 6/4 para igualar o jogo e levar para o match tie-break. Nas quatro partidas anteriores em Indian Wells, Melo e Kubot garantiram a vitória com ótimas atuações no match tie-break. Mas, desta vez, o domínio foi todo de Mektic e Zeballos, que em nenhum momento estiveram ameaçados, fechando em 10-3 para comemorar o título.

“Infelizmente, não deu aqui hoje (sábado). Eles jogaram melhor a partir do segundo set. Começamos bem o jogo, mas depois foram melhores. E o Zeballos realmente fez a diferença no match tie-break, jogando muito bem. Mereceram a vitória. Tiveram uma chave incrivelmente dura. A gente fez o que pode, mas não deu”, explicou Marcelo, patrocinado por Centauro, BMG e Itambé, com o apoio da Volvo e Confederação Brasileira de Tênis.

“Da mesma maneira, saímos felizes com o resultado, eu voltando a jogar bem, com a final de Masters Series. Agora é aproveitar essa confiança em Miami e para o resto da temporada. Saber que estamos jogando nosso alto nível novamente. Vitórias e derrotas acontecem e a cabeça está tranquila de que fizemos uma excelente semana, e saímos daqui somente com coisas positivas para frente”, afirmou. “E quero agradecer aos que torceram por mim, que me acompanham no Brasil e que estavam aqui. Muito obrigado pelo apoio. Gosto muito de Indian Wells, um dos melhores lugares para se jogar”, completou Marcelo, que já segue para Miami neste domingo (17).

Quatro vitórias em 2019 – O brasileiro Marcelo Melo, 35 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016. Na temporada 2019,  conquistaram até agora quatro vitórias, no Masters 1000 de Indian Wells.

Em 2018, Melo e Kubot disputaram 63 jogos, em 25 torneios, com 41 vitórias, conquistando quatro títulos: ATP 250 de Sidney, na Austrália; ATP 500 de Halle, na Alemanha; ATP 500 de Beijing e Masters 1000 de Xangai, ambos na China. Nos Grand Slam, foram vice-campeões no US Open, em Nova Iorque (EUA). O ano marcou três recordes na carreira de Marcelo: passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking – 56; recordista brasileiro em número de títulos da ATP, encerrando 2018 com 32; e o jogador brasileiro que mais vezes disputou o ATP Finals – seis vezes.

Principais conquistas na carreira - Entre os 32 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e nove Masters 1000, além de sete ATP 500 e 14 ATP 250. Em 2018, pelo 12º ano consecutivo comemorou ao menos um título por temporada. O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam, além de um vice em Londres (2013) e um vice (2018) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Xangai 2018 chegou ao nono, depois de ganhar Xangai (2013 e 2015), Paris (2015 e 2017), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018

Títulos:
ATP 250 –
 Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama
ATP 500 - Beijing (China), rápida
Masters 1000 - Xangai (China), rápida

Vice-campeonato:
Grand Slam – US Open
 - Nova Iorque (EUA)

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação