tn_HMNSE 26-09-2018

 

A partir de segunda-feira (04.02) o atendimento ambulatorial de ortopedia é restabelecido na rede pública municipal. A Secretaria de Saúde está fechando convênio com uma clínica particular oferecendo 300 consultas semanais aos pacientes.  Também passará a operar um ortopedista no ambulatório do Hospital Alcides Carneiro (HAC) com mais 150 consultas semanais.  E no Hospital Nelson de Sá Earp (HMNSE) com a readequação do quadro de estatutários, a partir de quarta-feira (06.02) haverá retorno do atendimento – com quantidade de consultas sendo definidas de acordo com a quantidade de médicos que irá permanecer no trabalho.

Os pacientes com  consultas e exames agendados esta semana e que não foram atendidos em função da paralisação dos médicos serão contatados uma um e reagendados nos locais onde haverá atendimento.

 

 

tn_Fachada HAC

“Não é necessário ir presencialmente no HMNSE ou no HAC ou mesmo na clínica que está sendo contratada. O paciente vai ser acionado por telefone com seu atendimento remarcado certinho, com tranqüilidade. Não vamos deixar que se forme fila de espera ou que os tratamentos e acompanhamentos sejam interrompidos”, avisa a secretária de Saúde, Fabíola Heck.

A mudança no atendimento foi tomada depois de médicos terem paralisado o setor esta semana depois que foi  determinado pela Secretaria de Saúde o cumprimento de 20 horas semanais trabalhadas. Foi identificado pela Saúde que médicos trabalhavam menos horas do que os plantões contratados.  O caso que chamou mais a atenção foi de um médico com 7 plantões estipulados por mês, um total de 168 horas de serviço que trabalhou menos de 23 horas no período, em horas fracionadas em vários dias.

Com a identificação da irregularidade, os médicos passaram a receber pelo período trabalhado e não mais por plantões integrais. “Os médicos devem se adequar às 20 horas semanais dividodas em turnos. Os profissionais que não estiverem disponíveis para esta escala podem pedir desligamento”, completa Fabíola Heck.

“O compromisso é com o paciente. As salas atuais da ortopedia receberão manutenção e o atendimento vai ser restabelecido e ocorrerá da melhor forma. A meta é, em seis meses, estar em funcionamento o Centro Municipal de Ortopedia, um complexo voltado apenas para o setor, ao lado do HMNSE, estrutura que está pronta externamente e que agora conquistamos mais R$ 109 mil de verbas estaduais para a adaptação interna”,afirma o prefeito Bernardo Rossi.

 

Coordenadoria de Comunicação Social
Prefeitura de Petrópolis