Mais de mil pessoas são detidas na Rússia em atos contra o governo

Metade das detenções está concentrada em Saint Petersburg, a segunda cidade do país

Mais de mil pessoas foram detidas nesse domingo (9), na Rússia, durante as manifestações de protesto contra a legislação sobre pensões de reforma convocadas pelo dirigente da oposição Alexei Navalni. Ele está preso por ter organizado concentrações ilegais.

De acordo com o portal informativo OVD-info, de Moscou, já são mais de mil prisões. Metade das detenções está concentrada em São Petersburgo, a segunda cidade do país. Em Yekaterimburgo, capital dos Urais, foram detidas 183 pessoas, apesar de as autoridades afirmarem que o número total é três vezes inferior àquele que está sendo divulgado pela assessoria de imprensa da oposição.

O Sindicato dos Jornalistas da Rússia disse, entretanto, que, durante a cobertura das manifestações, três repórteres foram agredidos pela polícia e 15 foram detidos.

Na capital dos Urais, os meios de comunicação social exigem que as forças de segurança libertem os jornalistas que ficaram detidos, frisando que os repórteres estavam trabalhando e exercendo o direito de informar.

O porta-voz do Departamento do Ministério do Interior na região dos Urais, Valeri Gorelij, disse ao jornal Novaya Gazeta, da oposição, que a polícia não vê diferenças entre jornalistas e manifestantes.

Os protestos contra a mudança da lei sobre as pensões que prevê o aumento da idade de reforma foram autorizados em apenas 12 localidades, a nível nacional, enquanto nas restantes 59 cidades – incluindo Moscou e São Petersburgo - a realização das manifestações foi proibida.

De acordo com os apoiadores de Alexei Navalni, participaram nos protestos de domingo entre 60 a 80 mil pessoas em todo o país.

Hoje é esperada a libertação da maioria dos detidos que devem ser julgados nos próximos dias. Alguns manifestantes enfrentam, no entanto, penas de prisão porque foram acusados de agressões a agentes das forças de segurança.

Os protestos coincidiram com a realização das eleições locais que decorreram em 80 das 85 capitais regionais da Federação da Rússia. Alexei Navalni, um dos nomes que tem liderado movimentos de oposição cumpre 30 dias de prisão por ter organizado anteriormente uma manifestação ilegal contra o governo e o presidente Vladimir Putin. Com informações da Lusa.