tn_Ciop registra 50 ocorrências em junho

Câmeras em 16 locais identificaram casos de colisão de veículos, acidentes de trânsito, veículo roubado, entre outros casos

Com o bom resultado do equipamento, a cidade já está trabalhando na segunda parte do sistema de monitoramento,que terá mais 40 câmeras

 

O primeiro mês completo do Centro Integrado de Petrópolis (Ciop) encerrou com o registro de 50 ocorrências flagradas pelas câmeras. Foram casos de colisão de veículos, acidentes de trânsito, roubo de automóveis e suspeitas de consumo ou tráfico de drogas, entre outros, que foram identificados em 16 locais diferentes. Essas ocorrências geraram uma prisão em flagrante por posse de drogas e ajudaram a encontrar uma quadrilha responsável por roubo à residência em Itaipava. Em outras cinco, agentes da PM ou da Guarda Civil foram acionados para fazer abordagem imediata. Do total, mais de 20% foram ocorrências relacionadas a acidentes.

As informações sobre as ocorrências constam no primeiro relatório de incidência criminal feito pelo Ciop. O maior número de ocorrências foi registrado pela câmera que fica na esquina da Paulo Barbosa com a Rua Caldas Viana, com 11 casos, mas também aconteceram casos em outros pontos do Centro, Quitandinha e Itaipava.

Os números mostram a importância desse equipamento para a cidade e, por isso, o município já trabalha na segunda fase do projeto de monitoramento. Nesta nova etapa, serão instaladas mais 40 câmeras, elevando para 96 o total de câmeras de monitoramento no município.

“O Ciop já está mostrando resultados e o número de ocorrências registradas possibilita que todos os órgãos integrados, Guarda, PM, delegacias, CPTrans, Defesa Civil e Bombeiros, possam atuar mais rápido e de forma mais. As câmeras já contribuíram para uma prisão de um caso de grande repercussão, em Itaipava, e cada vez mais vai mostrar a utilidade desse equipamento para toda a população”, diz o prefeito Bernardo Rossi.

Na semana passada, foi com ajuda das câmeras próximo ao Terminal e do Parque Municipal de Itaipava que a 106ª DP conseguiu identificar dois veículos “batedores”, utilizados para fazer escolta dos criminosos – e partir disso, foram identificados dois dos autores de um assalto ocorrido em Jardim Americano. Eles foram presos em uma operação realizada em São João do Meriti, Realengo e Xerém.

 

Segunda etapa do monitoramento

O Centro Integrado de Operações de Petrópolis tem 56 câmeras em 46 locais. Todos os pontos contam com câmeras que filmam em 360º, em alta definição e com alcance de até 1 km. Desses locais, cinco deles também possuem câmeras fixas que vão permitir identificar se um veículo roubado está entrando ou saindo da cidade – Bingen, Quitandinha, Alto da Serra, Bonsucesso e Posse. Ele já está funcionando na prática desde meados de maio, sendo inaugurado no último dia 25 de junho.

O segundo projeto conta com 32 câmeras fixas e oito de 360º. Elas vão ficar em 21 locais diferentes: encontro da Rua Floriano e Alberto Torres (três pontos diferentes); Rua Dom Pedro com Alameda Tamandaré (2); Rua Ipiranga com Fonseca Ramos (3), Rua Ipiranga próximo ao nº 524 (2); Rua Ipiranga com Raul de Leoni (3); Rua Ipiranga com 13 de Maio (2); Barão do Rio Branco com 13 de Maio (2); Koeler próximo ao nº 1038 (2); Praça Rui Barbosa com Koeler (2); Praça Rui Barbosa com Dr. Nelson de Sá Earp (2); Praça Rui Barbosa com Monsenhor Bacelar (2); 16 de Março com Alencar Lima (3); Irmãos D’Ângelo com Oscar Weinschenk (2); General Rondon (1); Paulo Hervê com Alice Hervê (1); Imperatriz (1); Av. Ayrton Senna (2); Barão do Rio Branco próximo ao nº 3173 (1); Barão do Rio Branco próximo ao nº 2846 (1); Benjamin Constant (1); e Rua do Imperador com Paulo Barbosa (1).

Esse projeto será possível após o prefeito Bernardo Rossi recuperar uma verba de R$ 500 mil de uma emenda que havia sido perdida pela gestão passada – além de uma contrapartida de R$ 614 mil. Além disso, a coordenação de Segurança do município fez uma adequação do projeto e conseguiu ampliar o total de câmeras, de 20 para 40.

O projeto prevê ainda instalação de fibras óptica, rádios de transmissão de dados, computadores, monitores, nobreaks, postes de sustentação das câmeras, entre outros equipamentos.

“O número de câmeras subiu e o investimento federal também, indo para R$ 768 mil. Com isso, nós conseguimos modificar os equipamentos para outros modelos com melhor resolução, menor custo de manutenção e que permite integração a qualquer sistema de monitoramento”, explica o coordenador de Segurança, Maurício Borges.


Coordenadoria de Comunicação Social
Prefeitura de Petrópolis