SENAI CETIQT

 

IoT. Internet of Thinks. Internet das Coisas. Essa é a chave para a conectividade que a Quarta Revolução Industrial traz para os dias de hoje. Mas, pelo nome, parece um pouco vago, difícil de enxergar na prática. E foi justamente para materializar esse termo perante representantes da indústria que o SENAI CETIQT participou do IoT Business Forum 2018, realizado em São Paulo (SP). Robson Wanka, gerente de educação da instituição, palestrou no painel ‘As prioridades do Plano Nacional de IoT e a Estratégia Brasileira para a Transformação Digital’ e falou sobre a aplicação prática de IoT no setor têxtil e de confecção; para que serve e seus ganhos, além de apresentar as iniciativas pioneiras que o CETIQT, em parceria com a ABIT (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção), vem desenvolvendo para implantar a indústria 4.0 no Brasil.

Uma das propostas do evento, que está em sua terceira edição, é mostrar a aplicação da Internet das Coisas no dia a dia da indústria. Claudiney Santos, diretor-editor do portal TI Inside, organizador do IoT Business Forum, afirmou que “a ideia do evento é mostrar como a Internet das Coisas pode alavancar os negócios nos vários segmentos de mercado. Hoje, muitos segmentos estão começando a fazer sólidos testes com base neste conceito, com projetos pilotos envolvendo IoT”.

O CETIQT tem promovido diversas iniciativas para elucidar e auxiliar a indústria de seu segmento. Além de criar a primeira fábrica modelo de confecção 4.0 do Brasil, instalada na Unidade Riachuelo (RJ) da instituição, o CETIQT reuniu executivos de grandes empresas do país para o MBI em Indústria Avançada: Confecção 4.0, sendo este o primeiro movimento nacional organizado para implantação da indústria 4.0 no setor têxtil e de confecção. Além disso, em parceria com a Abit, vem desenvolvendo o Programa de Fortalecimento Têxtil e em Confecção (PFTC) para capacitação das indústrias do setor por meio de consultoria ou de treinamentos educacionais.

“O objetivo do PFTC é fortalecer as micro e pequenas empresas por meio de conhecimento técnico e prático e a IoT é uma das linhas que estaremos trabalhando. Essa é uma estratégia para preparar o mercado para quando o BNDES abrir uma linha de fomento para os setor, o que deve acontecer muito em breve”, explica Wanka, que complementa: “Queremos que o setor seja prioritário no Brasil e que as empresas estejam preparadas para tal. Estamos sendo protagonistas desta nova Revolução Industrial, uma vez que temos diversas ações para agilizar o processo de implantação da 4.0 no país”.

Carlos Azen, gerente da área de indústria e serviços do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), esteve presente no IoT Business Forum para apresentar o plano de desenvolvimento do órgão voltado a projetos que contemplam esse tema. Ele expôs, durante o painel de abertura, o modelo de investimento em Internet das Coisas projetado para os setores de saúde, rural e de cidades, cuja linha de fomento será aberta na próxima semana. Na sequência, será a vez do setor industrial contar com o apoio do Banco.

Sobre isso, Wanka revelou que espera atrair a atenção de investidores para o setor têxtil e de confecção, lembrando que eles são um dos motores da economia brasileira.

“Somos o segundo setor industrial que mais emprega no Brasil. São mais de 30 mil empresas formais com mais de cinco funcionários; e se acrescentarmos aquelas com menos de cinco funcionários, o número de empresas salta para 60 mil”, salienta o Gerente de Educação do SENAI CETIQT. Ele também destacou que o setor têxtil vai muito além do vestuário, tendo aplicações até no mercado automobilístico, de construção civil e de segurança. “Esse é um mercado amplo, promissor e ainda pouco explorado; temos muito a explorar e muito a crescer, e precisamos começar a implementar”, completa.

O evento abordou ainda temas como ‘A transformação digital pelo uso de IoT no mercado nacional’; ‘A nova lei de Proteção de Dados, GDPR e Privacidade no contexto de IoT’; ‘Lançamento do estudo sobre LPWA no Brasil’ e ‘Os desafios do Plano Nacional de IoT’.

 
Texto: Assessoria
Foto: Divulgação