tn_Maio Amarelo simulação de acidente reúne centenas de pessoas na Praça D. Pedro

 

            A jovem Irene da Costa foi a personagem de uma simulação de acidente de trânsito realizada nesta quinta-feira (17.05) no entorno de uma das praças mais movimentadas da cidade, a D. Pedro. Na história criada para chamar atenção da sociedade para as vítimas de trânsito, Irene atravessava a faixa de pedestres quando foi atingida por uma motocicleta, que tentou, em vão, desviar de um veículo em alta velocidade, cujo condutor havia consumido bebida alcoólica. Na encenação do Movimento Maio Amarelo, que reuniu cinco atores e mais de 50 pessoas entre Bombeiros, Polícia Civil, CPTrans e guardas, a jovem não resistiu e morreu.

A história da personagem não fica muito distante da sua realidade. Irene já foi vítima de um acidente de trânsito na vida real, mas seu maior trauma vem da perda dos pais, que morreram em um acidente em Minas Gerais, quando voltavam de uma viagem de Salvador, na Bahia. Para a jovem, esse tipo de ação tão próxima da realidade demonstra como qualquer pessoa está sujeita a ser vítima de um acidente, ainda que não esteja pilotando uma moto ou atrás de um volante.

“É muito triste ver esse tipo de situação acontecendo. Sei o quanto é devastador para quem perdeu um ente querido e também por ter sofrido na pele. Por isso sempre fico muito atenta às situações que ocorrem ao meu redor, no dia a dia. Misturar bebida e direção ou até mesmo a utilização de celulares ao volante pode acabar com a vida de alguém. Hoje as pessoas presenciaram uma simulação, mas poderia ser real. É preciso que todos fiquem atentos”, destaca Irene.

Desde às 9h, o cenário já havia sido montado pela CPTrans. Um carro destruído e uma motocicleta foram expostos em plena Praça D. Pedro e já chamavam a atenção de quem passava pelo local. Às 10h uma explosão simulou o barulho do choque entre os veículos, dando início ao simulado de socorro. Três das cinco vítimas estavam dentro do carro, que continha garrafas de cerveja. Do lado de fora, um motociclista foi de encontro ao chão e a pedestre, que estava na faixa, caída a poucos metros.

Após cerca de cinco minutos do acionamento, o Corpo de Bombeiros chegou junto com a equipe do Samu. A simulação foi realizada seguindo todos os protocolos de um salvamento com múltiplas vítimas. Foi feita a triagem das “vítimas” que foram encaminhadas às unidades de saúde de acordo com a sua gravidade. A Polícia Civil, que também participou da simulação, foi acionada para fazer a remoção da única vítima fatal e da perícia do acidente. Ao final da ação, os socorristas foram aplaudidos pelo público presente.

“O mais interessante deste tipo de atividade é que as pessoas param para observar chocadas com a possibilidade de que seja um acidente real e acabam saindo refletindo sobre aquela situação. Ver pessoas acidentadas choca e faz refletir sobre a situação, sobre o que causou aquele acidente e o que poderia tê-lo evitado. Mas, mais do que isso, a importância real é demonstrar que aquela situação foi fictícia, mas que poderia ter acontecido com qualquer pessoa. E nossa missão é despertar no público a mudança de comportamento. A prevenção continua sendo a maior forma de evitar qualquer tragédia”, destaca o diretor-presidente da CPTrans, Maurinho Branco.

Impactada com a cena, a aposentada Ângela Maria Cunha, de 59 anos, chegou a achar que se tratava de um acidente real. Para ela, esse tipo de ação é fundamental para que as pessoas pensem o quanto um acidente pode ser devastador. “É uma história que se repete todos os dias e, infelizmente, nem todas elas se trata de uma simulação”, destaca.

O comandante do 15ª Batalhão do Corpo de Bombeiros, o tenente-coronel Ramon Camilo, destaca a importância dessa ação. “Queremos demonstrar a realidade, as situações que ocorrem no dia a dia e como atuamos. O Corpo de Bombeiros buscará sempre estar envolvido em campanhas que possam salvaguardar a vida das pessoas, assim como o Movimento Maio Amarelo”, destacou.


Ações do Movimento Maio Amarelo continuam

Dando continuidade às ações do Movimento Maio Amarelo, a CPTrans em parceria com a Porto Seguro, realiza nesta sexta-feira (18.05), de 10 às 17h, no entorno da Praça D. Pedro, a cristalização de para-brisas gratuitamente. O serviço, que tem, em média, três minutos de duração, aumenta a visibilidade do motorista e, consequentemente, sua segurança em dias de chuva.

Isso acontece porque ao contrário do que aparenta ao olho humano, a superfície do vidro não é lisa, ela apresenta uma superfície cheia de ranhuras ásperas, onde se infiltram as gotículas de água. Com isso, as luzes que penetram o vidro acabam ficando difusa para o motorista, distorcendo as imagens. Desta forma, a cristalização funciona repelindo a água, com uma camada protetora, plana, transparente e lisa, fazendo com que as gotas escorram para as extremidades.

As atividades do Maio Amarelo acontecem ao longo de todo o mês com ações de conscientização para um trânsito mais seguro. A iniciativa visa diminuir as estatísticas de trânsito, que matam milhares de pessoas todos os anos no mundo. Em Petrópolis, uma extensa programação é realizada, com destaque para as palestras educativas em universidades. O movimento culmina na caminhada em defesa da vida, programada para o dia 26, a partir das 14h com concentração na Praça D. Pedro.

 

Coordenadoria de Comunicação Social
Prefeitura de Petrópolis