tn_Mairom-Duarte---Foto-Érica- Haja estatística!

 

 

Frequentemente precisamos convencer alguém de alguma coisa. A necessidade de convencimento faz parte da vida, do dia-a-dia propriamente dito. Podemos enumerar incontáveis exemplos. Um dos mais básicos é com relação a aquela vaga de emprego que almejamos e que através do convencimento, conseguimos fazer com que o recrutador entenda e acredite que atendemos as expectativas da vaga.

 

Mas tecnicamente, há vários modos de convencimento. Algumas técnicas são intuitivas e outras dependem de estudos, são bem mais elaboradas.

 

Uma delas é o uso de números ou estatísticas para apresentar fatos e justificar o que queremos convencer. E é nesse espaço do convencimento, o do uso das estatísticas,onde mora o perigo…  Os dados podem ser manipulados e mostrados de forma maquiada, e,dessa forma,fazem parecer que dão “certeza” de que fazem sentido e são válidos.

 

Veja a seguinte notícia: “Sucesso de bilheteria. Filme tem mais de 4 milhões de ingressos vendidos”. A propaganda nos induz a assistir o filme, mas quando chegamos à sala do cinema, a sala está vazia. Como? E o sucesso de venda? Explica-se essa divergência de ingressos e público avaliando que a aquisição dos ingressos pode ter sido realizada por alguma entidade que precise que tal filme seja um sucesso. Isso se chama audiência inflada.

 

Vamos a outro exemplo? É alardeado que uma determinada cidade é um polo num tipo de negócio específico, sendo apresentada como um excelente local para sediar empresas deste ramo. Mas, ao se investigar em mais detalhes, vê-se que esse número está inflacionado. Como? Simplesmente fez-se um levantamento de números de CNPJs existentes, sem se verificar se essas empresas realmente estão em operação ou se uma mesma empresa tem vários CNPJs como estratégia de redução de impostos.

 

Obvio que a manipulação sempre vai ocorrer; muitas das vezes, ainda ajudamos a espalhar notícias baseadas em premissas faltas. É importante ressaltar que às vezes,50% pode não representar nada, principalmente quando 50% corresponde a 01 em um total de 02.

 

É preciso cuidado com essas armadilhas numéricas. Há várias maneiras de manipulação, dependendo do objetivo que se quer atingir. Os números são apresentados para atender às conveniências e interesses de uns e de outros. Cabe a nós, pesquisar o que efetivamente está por trás dos dados anunciados. E como a maioria tem dificuldade para fazer esta avaliação, a estatística divulgada “cega a nossa visão” e simplesmente predomina. mairom.duarte@csalgueiro.com.br.

 

* Mairom Duarte é Consultor em Gestão de Negócios e atua há mais de 25 anos em Consultoria de Gestão Empresarial.

 

SERVIÇO

MAIROM DUARTE

Mairom Duarte é Petropolitano. Atualmente é Diretor da COSTA SALGUEIRO Consultoria, onde é associado desde 2000, empresa também de Petrópolis. É Engenheiro Eletricista pela UFRJ (1983). Possui larga experiência em Consultoria Empresarial, tendo trabalhado por 14 anos na Accenture Consulting e 3 anos na Ernst & Young Consulting. É especialista em gestão de negócios, participando e coordenando projetos de reestruturação empresarial e implantação de sistemas de gestão integrada em empresas de grande porte como Petrobras, Votorantin, Jornal do Brasil, Vivo, Light, Coelba, Braspetro Colômbia, Karsten, CPFL, Grupo Industrial João Santos, Cimento Mauá, Braskem, entre outros.

Em Petrópolis a Costa Salgueiro deixa sua marca em diversas empresas da cidade tais como Vassouras Rossi, Telas São Jorge, CTO – Centro de Terapia Oncológica, Grupo Tribuna de Petrópolis entre outras.

 

COSTA SALGUEIRO CONSULTORIA – GESTÃO DE NEGÓCIOS

Edifício Pio XII

Rua Marechal Deodoro, 119 – sobreloja 19

Centro – Petrópolis/ RJ

(24) 2237-9500/ (24) 98114-3677 (WhatsApp)

www.csalgueiro.com.br

mairom.duarte@csalgueiro.com.br

 

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação