Pedido pode beneficiar também outros condenados em segunda instância


O Ex-presidente Lula,  dia  28/03/2018, durante ato político em Curitiba - Marco Alves / Agência O Globo
 Para tentar evitar que o  ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outros réus que possam ser presos sem que o processo tenha transitado em julgado — ou seja, que todos os recursos possíveis sejam analisados, o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay, entrou nesta quinta-feira com um pedido de liminar no Supremo Tribunal Federal (STF) que deverá ser analisado pelo ministro Marco Aurélio Mello, que relata uma ação declaratória de constitucionalidade sobre a possibilidade de prisão em segunda instância.

Fonte: O Globo