Cratera no Quênia sinaliza divisão do continente africano

A rachadura já tem 15 metros de profundidade e 20 metros de largura

No continente africano apareceu uma enorme rachadura de 15 metros de profundidade e 20 metros de largura. Segundo avisam cientistas, o continente africano está se separando em dois.

Além disso, quando o fenômeno surgiu, provocou muitos danos, isto é: destruiu estradas, linhas elétricas e edifícios residenciais.

Neste contexto, a especialista em geologia Lucía Pérez Díaz explicou ao The Conversation quais são as possíveis causas do acidente geográfico.

A especialista observou que a Terra sempre sofre várias alterações, sem que notemos. As placas tectônicas são um bom exemplo desse processo. Elas não permanecem estáticas, e seu movimento permite supor que o continente africano está se partindo em dois.

Às vezes, o movimento das placas tectônicas resulta em seu rompimento.

Um exemplo deste tipo de fenômeno seria o Rifte Africano Oriental — uma rachadura de mais de 3.000 quilômetros de extensão.

Provavelmente é este rifte que provocará a divisão do continente em duas partes.

Não obstante, o aumento das fissuras é um processo muito lento. Por exemplo, o movimento das placas nessa região ocorre com velocidade de 2,5 a 5 centímetros por ano.

Ou seja, devem passar milhões de anos antes que a rachadura se torne tão grande que a água do oceano a inundará por completo.

África está se separando em duas partes ao longo da Somália e Quênia

Levará milhões de anos, mas África finalmente se separará em duas partes desiguais e um novo mar se formará entre elas.

O recente surgimento da rachadura no Quênia contribui para a divisão do continente. Os especialistas destacam que fenômenos parecidos frequentemente resultam de atividade sísmica ou vulcânica. Com informações do Sputnik News.