tn_Brasil terá oito duplas no torneio principal em Fort Lauderdale
Primeiro evento cinco estrelas da temporada 2018 contará com participação em massa de brasileiros

O vôlei de praia brasileiro será representado por oito duplas no primeiro evento de cinco estrelas da temporada 2018 do Circuito Mundial. Em Fort Lauderdale (EUA) a terça-feira (27.02) foi dia do torneio classificatório para a primeira competição do Major Series do ano. As três parcerias verde e amarelas venceram os dois jogos que fizeram cada um e reforçaram a participação do Brasil no torneio principal.
No feminino, a cearense Taiana ainda não pode contar com a parceira Elize Maia, que se recupera de lesão, e entrou na disputa ao lado da conterrânea Carol Horta. Mesmo sem muita experiência juntas, a dupla fez bonito e venceu logo na estreia Matic e Milosevic, da Sérvia, por 2 sets a 0 (21/14 e 21/18), em 35 minutos. Na segunda rodada as brasileiras passaram pelas neozelandesas Wills e Polley também em dois sets (21/14 e 21/16), em 33 minutos.
Mesmo enfrentando a falta de entrosamento e a pouca informação sobre as adversárias, que não têm muita tradição no Circuito, Taiana e Carol Horta conseguiram dominar as ações em ambos os jogos. Segundo Taiana, o segredo para os dois triunfos foi conseguir se adaptar ao clima e ao estilo de jogo das desafiantes.
“Aqui está tão quente e com tanto vento como em João Pessoa (PB), onde jogamos há dois dias. Ontem jogamos bem no country quota e logo que soubemos as adversárias de hoje fomos buscar alguma informação, o que é muito importante quando enfrentamos duplas que não conhecemos, pois temos que sentir o estilo de quem está do outro lado já com o jogo rolando. No segundo jogo, contra as meninas da Nova Zelândia, usamos o vento ao nosso favor e a Carol já havia enfrentado elas em outro torneio, então tínhamos mais dados. Como não somos um time formado, precisamos aproveitar cada partida para melhorar nosso entrosamento, e queremos ir o mais longe possível”, contou Taiana.
Além das cearenses, outras três duplas femininas do Brasil estarão na briga pelo título em Fort Lauderdale: Ágatha/Duda (PR/SE), Bárbara Seixas/Fê Berti (RJ) e Maria Elisa/Carol Solberg (RJ). Entre os homens, Alison/Bruno Schmidt (ES/DF), Evandro/André (RJ/ES), e Guto/Vítor Felipe (RJ/PB) também já começam a competição na fase de grupos. Pedro Solberg/George (RJ/PB) também conseguiram a vaga ao passar no classificatório.
Pedro e George iniciaram a disputa com uma vitória apertada sobre os chineses Gao e Li por 2 sets a 1 (21/16, 19/21 e 15/13), em 50 minutos. Depois, novo resultado positivo, desta vez sobre uma dupla da Lituânia, Rumsevicius e Kazdailis, por 2 sets a 0 (21/19 e 22/20), em 40 minutos.
“Foram dois jogos muito tensos. Éramos a dupla ranking um no classificatório então sabíamos da pressão. Estamos em disputa direta com as outras duplas brasileiras para estar nos torneios, então se classificar aqui foi muito importante. Fiquei bem impressionado com a qualidade da dupla chinesa, são muito bons”, declarou Pedro Solberg.
Atuais campeões da etapa, Álvaro Filho e Saymon (PB/MS) não conseguiram avançar para o torneio principal. Eles venceram na primeira rodada os chineses Wang e Zhou por 2 sets a 0 (21/10 e 21/12), mas foram superados na sequência por Perusic e Schweiner, da República Tcheca, por 2 sets a 0 (16/21 e 12/21).
Nesta etapa nos EUA são mais de 120 equipes masculinas e femininas de 34 países na disputa. O time campeão recebe um prêmio de 40 mil dólares e 1200 pontos no ranking geral da temporada.
Fort Lauderdale, que ao todo distribui 600 mil dólares em premiações aos atletas participantes, recebe uma etapa do Circuito Mundial pela terceira vez. Em 2015, a cidade foi sede do World Tour Finals quando Alison/Bruno Schmidt e Larissa/Talita subiram no lugar mais alto do pódio. Fora em 2016, voltou ao calendário com o Major no ano passado.
Contando todas as etapas já realizadas nos Estados Unidos, o Brasil soma 10 medalhas de ouro no torneio masculino e 11 no feminino, com um total de 42 medalhas conquistadas. O Brasil venceu as últimas cinco paradas americanas e busca manter a hegemonia no país.
O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

 

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação