Polícia investiga carta com pó suspeito enviada ao príncipe Harry

Correspondência também trazia mensagem de cunho racista, supostamente endereçada a Meghan, primeira afrodescendente a chegar à família real britânica

Uma carta com um suspeito pó branco, enviado ao príncipe Harry e à sua noiva, Meghan Markle, vem sendo alvo de investigação pela polícia britânica. A correspondência havia sido eniada no dia 12 de fevereiro, mas acabou sendo apreendida no St James Palace, centro de Londres, antes mesmo de ser recebida pelo casal.

Segundo informações do Uol, as autoridades locais interceptaram o material, suspeitando que a substância branca fosse anthrax. O jornal britânico “Evening Standard” antecipou que as análises recolhidas pela Scotland Yard revelaram que o pó branco não continha nada de prejudicial.

“A substância foi testada e se confirmou como não suspeita. Os oficiais também estão investigando uma denúncia relacionada ao mesmo pacote. Não houve prisões e a investigação continua”, disse a polícia em comunicado enviado ao jornal “The Guardian”, reproduzido pelo Uol.

A carta suspeita trazia, além do pó branco, uma mensagem de cunho racista, supostamente endereçada a Meghan, primeira afrodescendente a chegar à família real britânica. A noiva de Harry atuava como atriz e modelo antes de se envolver com o príncipe e chegou a tratar sobre racismo em um relato publicado pela revista “Allure”. O casamento real vai ocorrer em 19 de maio deste ano.