Após levar calote, Djokovic vira réu na Justiça brasileira

Caso envolve também o ex-jogador Dejan Petkovic, ídolo do Flamengo

O blog “Break Point”, do Globoesporte.com, revelou nesta quarta-feira (22) que o tenista sérvio Novak Djokovic virou réu na Justiça brasileira. O caso diz respeito ao evento “Djokovic no Rio”, ocorrido em 2012.

O contrato previa um cachê de US$ 1,1 milhão para Djokovic, mas ele recebeu só 40% da quantia e tenta há alguns anos, através de ação judicial, receber o restante do valor.

Só que uma investigação foi iniciada pelo Ministério Público em 2016 para averiguar o contrato e o litígio entre o tenista e o Governo do Estado do Rio de Janeiro. Mas na noite da última terça-feira (20), o MP-RJ oficializou uma ação civil pública contra o ex-número 1 do mundo, o Estado, ex-secretários, além do ex-jogador e ídolo do Flamengo Dejan Petkovic, com o objetivo de tentar recuperar R$ 2.744.385,32 aos cofres públicos.

Novak Djokovic foi ao Rio de Janeiro para inaugurar uma quadra esportiva na comunidade da Rocinha e ainda jogou uma partida festiva com Gustavo Kuerten no Maracanãzinho. O evento foi intermediado pela empresa Deki10 (de Petkovic) e a ADMA, que receberam do Governo R$ 1.511.388,40 para realizar algumas ações, como a implantação da Escolinha de Tênis na Rocinha.

Notícias ao Minuto

Os documentos do caso, obtidos pelo “blog Break Point”, apontam que o contrato de US$ 1,1 milhão foi firmado sem disponibilidade orçamentária suficiente. O evento teria custado R$ 4,5 milhões aos cofres públicos. O inquérito instaurado ainda aponta possibilidade e enriquecimento ilícito e improbidade administrativa do Governo do Estado.

“É uma situação muito constrangedora para o Djokovic porque não há sinalização de quando isso vai ser concluído. Ele veio aqui, prestou o serviço que acordou prestar e não recebeu o saldo do pagamento”, disse ao Globoesporte.com Mariana Barbosa, advogada de Djokovic no Brasil.