IF

Foram encontrados problemas estruturais e de documentação

 

Em uma nova etapa da Operação Esquentando os Tamborins, o Procon Estadual esteve, nesta quarta-feira (07/02), no Aeroporto Internacional Tom Jobim, que deverá ter grande movimento nos próximos dias por causa do Carnaval. Foram fiscalizados 22 estabelecimentos da área comum do aeroporto e em cinco deles foram encontradas irregularidades. Os problemas encontrados foram de ordem estrutural ou relacionados a documentos obrigatórios por lei.

 

Duas lanchonetes não tinham o alvará de funcionamento: Giraffas e Pizza Hut. Nesta última também não foi apresentado o certificado de potabilidade da água. A drogaria Air Farma não possuía a tabela de Preço Máximo ao Consumidor (PMC) atualizada.

 

Na Suplicy Cafés Especiais, os fiscais constataram a oferta de produtos sem a informação do preço e a ausência do certificado de dedetização. Já na Casa do Pão de Queijo havia ralos não sifonados nas áreas de preparo da lanchonete e de estoque. Os fiscais deram um prazo de 15 dias para a realização dos reparos.

Não foram encontradas irregularidades em 17 estabelecimentos: Palheta, Dufry, Piola, Pastatore, Subway, Spoleto, Bob’s, MegaMatte, Divino Fogão, Starbucks, Livraria Leitura, Delta Expresso, Kafe, Britt Shop Rio, Café Rio, Kopenhagen e Empório Aviação.

 

 

Balanço da Operação Esquentando os Tamborins:

 

1 – Pizza Hut: Ausência do alvará de funcionamento e do certificado de potabilidade da água.

 

2 – Air Farma: Ausência da tabela de Preço Máximo ao Consumidor (PMC) atualizada. Os fiscais deram um prazo de 15 dias para a apresentação da mesma.

 

3 – Giraffas: Ausência do alvará de funcionamento.

 

4 – Suplicy Cafés Especiais: Ausência de preços em produtos expostos à venda e do certificado de dedetização.

 

5 – Casa do Pão de Queijo: Ralos não sifonados nas áreas de preparo da lanchonete e de estoque. Os fiscais deram um prazo de 15 dias para a realização dos reparos.

 

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação