tn_Pessoas em situação de rua terão atendimento médico no Centro Pop

Parceria com Consultório na Rua levará assistência médica e de enfermagem  às segundas-feiras na unidade

 

Moradores de rua que frequentam o Centro Pop onde já recebem atendimentos assistenciais e pedagógicos passam a contar a partir desta segunda-feira (05.02), com consultas médicas e de enfermagem. A parceria  reúne as secretarias de Assistência Social e de Saúde. A primeira administra o Centro POP e, a segunda, vai entrar com o Consultório na Rua, um programa da Saúde. O início dos atendimentos começou com uma palestra sobre as doenças sexualmente transmissíveis acompanhada por 30 pessoas.  O acompanhamento médico vai ser feito todas as segundas-feiras.

 

“Hoje temos em média de 150 usuários que frequentam o Centro Pop diariamente então para nós é muito importante termos um médico e enfermeiro vindo até a unidade para verificar a saúde dos nossos assistidos. Todos eles já foram vacinados agora passam por acompanhamentos também na Saúde”, anuncia a secretária de Assistência Social, Denise Quintella.

 

O Centro Pop tem, atualmente, cerca de 300 prontuários de atendimentos. Destes, 95% são de homens. Em janeiro a Saúde proporcionou uma ação na Praça da Inconfidência em conjunto com a Assistência para debater junto ao público masculino os cuidados preventivos. O Consultório na Rua mantém uma rotina de atendimentos na praça todas as quartas-feiras a partir das 8h30.

 

“Em geral, o público masculino tem mais resistência em buscar atendimento médico. Com o Consultório na Rua conseguimos levar esse atendido para perto do homem e a resistência acaba diminuindo. Esse alinhamento entre a Saúde e a Assistência é um passo importante para que possamos prestar um atendimento mais humanizado e completo a essa população”, afirma o secretário de Saúde, Silmar Fortes.

 

 

A palestra sobre ‘Infecções Sexualmente Transmissíveis’ realizada no Centro Pop reuniu 30 participantes que além de se informarem sobre as principais doenças também tiraram dúvidas e receberam preservativos. A assistente social e coordenadora do Consultório na Rua, Ludmila Mitidieri, reforça que o ônibus com consultório acoplado também realiza visitas mensais no NIS – Núcleo de Integração Social.

 

“Fortalecemos esses atendimentos junto ao ônibus que tem passado por vários pontos de toda cidade. A Praça da Inconfidência é um ponto central onde podemos abordar o maior número de pessoas e a recepção aqui é sempre muito positiva. A nossa proposta é levar o atendimento aonde a população de rua se encontra para que eles tenham todos os cuidados necessários para prevenção e promoção de Saúde”, disse Ludmila.

 

Na atividade desta segunda, os atendidos participaram de uma palestra seguida de roda de conversa sobre as doenças sexualmente transmissíveis. A médica do Consultório na Rua, Keila Rezende reforçou junto aos usuários a importância de se realizar o acompanhamento médico e tratamento das doenças diagnosticadas.

“Trabalhamos sempre com a prevenção pois essa população é muito exposta a desenvolver essas doenças. Realizamos periodicamente exames de sangue com todos e já identificamos que vários precisam de acompanhamento periódico como os que possuem hipertensão e diabetes”, disse.

 

A abordagem à população em situação de rua

Diariamente são realizadas abordagens às pessoas em situação de rua pela equipe da Assistência Social em conjunto com guardas civis, que também oferecem apoio para quem aceita ir para o Centro de Referência Especializada para População em Situação de Rua (Centro Pop) ou para o Núcleo de Integração Social (NIS).

Aos  que desejarem o acolhimento no Centro Pop são oferecidos banho, roupas novas, alimentação e atividades durante o dia. Caso a pessoa tenha interesse, ela pode ser encaminhada para o Núcleo de Integração Social (NIS) onde passará por todo um processo de ressocialização, recebendo tratamento médico e psicológico. O objetivo da Assistência Social é dar a oportunidade para que possam conseguir um emprego ou retornar para as suas cidades de origem.

O Centro de Referência Especializada para População em Situação de Rua (Centro Pop) atende em média 150 pessoas e o NIS – Núcleo de Integração Social abriga em média 80 pessoas, sendo 90% homens na faixa etária de 30 a 50 anos.

 

 

Coordenadoria de Comunicação Social
Prefeitura de Petrópolis