tn_Rafael Gabrich - Médico Urologista (5)Tratamento podem ser medicamentoso ou cirúrgico

 

A incontinência urinária, ou seja, perda involuntária de urina é um problema comum e muitas vezes constrangedor. A gravidade varia de acordo com cada caso, mas de forma geral o paciente não consegue segurar a urina ao fazer esforços como tossir ou espirrar, em outros casos, a vontade de urinar é tão súbita e forte que não dá tempo de chegar a um banheiro.

 

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Urologia a incontinência urinária atinge cerca de 10 milhões de brasileiros de todas as idades, sendo duas vezes mais comum no sexo feminino e é um problema que afeta todas as faixas etárias, mas acomete mais a população idosa. Para o médico urologista, Dr. Rafael Gabrich, membro do corpo clínico da Uro_Med Urologia, um dos agravantes da incontinência é o grande impacto na qualidade de vida das pessoas. “O grande problema é o impacto que ela causa. De forma geral os pacientes acometidos com essa doença se tornam pessoas deprimidas, que perdem suas relações sociais e familiares”, pontua.

 

Dentre os tipos de incontinência urinária, estão: incontinência urinária de esforço, quando o doente não tem força muscular pélvica suficiente para reter a urina e a perde ao espirrar, tossir, rir, levantar algo, subir escadas, fazer atividades físicas, dentre outras. Incontinência urinária de urgência, que gera desejo de urinar tão forte que o paciente não consegue chegar ao banheiro a tempo. Incontinência urinária por transbordamento, a bexiga está sempre cheia, ocorrendo vazamentos. Também pode acontecer de a bexiga não se esvaziar por completo, o que leva ao gotejamento. Incontinência urinária funcional que ocorre quando uma pessoa reconhece a necessidade de urinar, mas está impossibilitada de ir ao banheiro devido a alguma doença ou complicação que a impede de chegar ao banheiro por conta própria. E por último, a incontinência urinária mista, os sintomas de incontinência urinária podem se misturar, criando a incontinência mista.

 

Entre as principais causas estão o consumo exacerbado de certas bebidas, alimentos e medicamentos podem atuar como diuréticos e estimular a bexiga e aumentar o volume de urina. Dentre as bebidas e alimentos estão: álcool, cafeína, chá com cafeína e café, refrigerantes, adoçantes artificiais, xarope de milho, alimentos que são ricos em especiarias e açúcar, alimentos muito ácidos e cítricos, bem como o uso de medicamentos para doenças cardíacas e pressão arterial, além de sedativos e relaxantes musculares.

 

Dr. Rafael ressalta que a incontinência urinária pode também ser causada por uma condição médica facilmente tratável, tal como: infecção do trato urinário, prisão de ventre, estresse emocional, mas que é importante ressaltar que pode se tratar de uma condição persistente causado por problemas físicos subjacentes ou alterações, incluindo: gravidez, parto, envelhecimento, menopausa, histerectomia, aumento da próstata, câncer de próstata, obstrução do trato urinário, distúrbios neurológicos, tais como esclerose múltipla, doença de Parkinson, AVC, tumor cerebral ou uma lesão da coluna vertebral.

 

Lacy Muller, 58 anos, é atendente de telemarketing e em fevereiro de 2017 sofreu uma queda de uma cadeira, tendo sido acometida de uma pequena lesão na coluna vertebral. O resultado da queda foi à aquisição de uma incontinência urinária. O tratamento da paciente teve inicio com consultas regulares ao urologista que indicou o uso de medicamentos específicos e fisioterapia localizada e regular.

 

Após o tratamento convencional medicamentoso, Dr. Rafael Gabrich e a paciente optaram por uma pequena cirurgia para sanar o problema.

 

“A incontinência urinária me deixava sempre angustiada com atividades que faziam parte do meu dia a dia, desde simplesmente tossir ou ter que andar de carro e passar por um quebra-molas. Em muitos momentos a minha maior vontade era a de ficar em casa, para não ter que reviver episódios constrangedores. Após o tratamento e a cirurgia não tenho mais nenhum sintoma e minha vida voltou ao normal”, declarou Lacy.

 

Dentre os fatores de risco que aumentam a incidência de incontinência urinária estão à idade, sexo, raça, obesidade, bem como doenças neurológicas e diabetes.

 

Mais informações podem ser obtidas pessoalmente na Uro_Med Urologia que fica localizada no Edifício Cinda, à Rua Dr. Alencar Lima, 35 – Centro – Petrópolis/ RJ, através do telefone (24) 2242-1887, do e-mail uromed00@hotmail.com ou através das Mídias Sociais Facebook e Instagram  @uromedurologia.

 

SERVIÇO

URO_MED UROLOGIA

Edifício Cinda

Rua Dr. Alencar Lima, 35

Centro – Petrópolis/ RJ

(24) 2242-1887

uromed00@hotmail.com

Facebook: @uromedurologia

Instagram: @uromedurologia

 

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação