PF diz que algemou Cabral por segurança do próprio preso e de policiais

Usos de algemas nas mãos e nos pés do ex-governador para exame no IML de Curitiba gerou controvérsia

O delegado da Polícia Federal Igor Romário de Paula afirmou que o uso de algemas nos pés e nas mãos do ex-governador do Rio Sérgio Cabral, que foi transferido do Rio de Janeiro para o Paraná, foi uma medida para assegurar a segurança do próprio preso, da equipe policial e de terceiros. As informações são do G1.

Cabral foi levado algemado para fazer o exame de corpo de delito no Instituto Médico-Legal (IML), na última sexta-feira (19), em Curitiba. Após o exame, o ex-governador foi encaminhado ao Complexo Médico-Penal de Pinhais, na região metropolitana da capital paranaense.

O caso gerou repercussão, e o juiz federal Sergio Moro pediu esclarecimentos sobre a prática. “As dependências de acesso ao Instituto Médico-Legal não possuem controle de acesso e são regularmente frequentados por pessoas não vinculadas aos órgãos policiais como jornalistas, cinegrafistas e até mesmo terceiros curiosos”, explicou o delegado.

Romário de Paula alegou que a situação era imprevisível e que o uso de algemas não visava à exposição do detento.