tn_cram

Evento faz parte da campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres

            O Centro de Referência e Atendimento à Mulher (Cram) segue com as ações da campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres. Na sexta-feira (01.12), às 15h, a equipe do órgão municipal irá à sede da Comdep, localizada no Quitandinha onde será explicado como funciona o Cram, as formas de atendimento disponibilizadas, como funcionam as leis de proteção à mulher, tirar dúvidas dos presentes, e, além disso, será aberto espaço para depoimentos e bate-papo.

A ação desta sexta contará com a presença de Ana Luiza Franco e Liane Diehl, advogada e psicóloga do Cram, respectivamente, e será aberta pela coordenadora do órgão, Cléo de Marco. Serão abordadas as leis de proteção à mulher e os passos de acompanhamento, entre outros. Nesta quinta-feira (30.11), o Cram estará presente na Posse, onde fará panfletagem e divulgação da presença do Ônibus Lilás no distrito, que ainda terá data definida. No dia 06.12, a equipe estará no Centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH) realizando ações relacionadas à campanha e, no dia 08, fechando a campanha, será realizada palestra no Colégio Santa Catarina.

“Os números de violência à mulher só têm aumentado nos últimos anos, então precisamos ampliar nossa campanha de prevenção e conscientização. Muitas mulheres ainda sentem vergonha de denunciar a violência doméstica, ou se sentem culpadas pela agressão sofrida. Nosso trabalho é desmistificar isto, pois sem a denúncia não há ação. Os 16 dias de ativismo são de grande importância, pois é uma campanha que traz visibilidade a um assunto ainda pouco abordado”, destaca a coordenadora do Cram, Cléo de Marco.

A campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres foi criada em 1991 pelo Centro de Liderança Global de Mulheres e tem como objetivo promover o debate e denunciar as várias formas de violência contra as mulheres. Mundialmente, a campanha tem início no dia 25.11, dia internacional de Não Violência Contra as Mulheres, e termina no dia 10 de dezembro, data em que se comemora o dia internacional dos Direitos Humanos. Cento e cinquenta países já abraçaram a causa, que chegou ao Brasil em 2003. No país, o início da campanha foi antecipado para o dia 20.11, dia nacional da Consciência Negra, como reconhecimento da opressão sofrida pelas mulheres negras, principais vítimas da violência de gênero no Brasil.

O Cram realizou palestra similar na CPTrans, também durante a campanha, onde 22 funcionárias foram instruídas sobre as ações do órgão. Devido ao sucesso obtido, o órgão está estudando realizar uma nova palestra na CPTrans, agora também com os funcionários. Na Comdep, estarão presentes servidores de ambos os sexos.

O Centro de Referência realizou aproximadamente 350 atendimentos apenas neste ano, e atualmente possui uma média diária de 5 atendimentos. Ao longo dos trabalhos, o órgão constatou que a maioria dos casos de violência à mulher acontecem quando seus parceiros estão sob efeito de entorpecentes.

“É uma situação muito problemática, pois a mulher muitas vezes sente que a agressão só ocorreu pois seu parceiro não estava em seu estado normal, então não denuncia e não termina a relação. Ao longo do tempo, a condição só piora, pois as agressões se tornam mais intensas e mais frequentes. Vamos nos unir a outros órgãos de assistência da cidade e lutar para erradicar esse pensamento. Qualquer forma de violência deve ser abominada, seja ela física, verbal, moral, sexual ou patrimonial”, frisa Cléo.

A palestra desta sexta-feira será aberta ao público e começará às 15h, na sede da Comdep, localizada na Rua General Rondon, número 400, no Quitandinha. Para denunciar ou solicitar informações, basta ligar para o telefone 2243-6152 ou ir à sede do Cram, que fica na Rua Santos Dumont, número 100, no Centro. O funcionamento é de segunda a sexta, de 8h às 17h.

 

 

Coordenadoria de Comunicação Social
Prefeitura de Petrópolis