Egito condena 16 homens a prisão por serem homossexuais

Eles foram acusados de “incitar à depravação” e de praticar “relações sexuais anormais”

Um tribunal no Cairo, capital do Egito, condenou 16 homens a três anos de prisão pelo fato de serem homossexuais.

As detenções ocorreram no passado mês de outubro, depois de as autoridades egípcias terem iniciado uma perseguição a membros da comunidade LGBT.

Tudo começou com um concerto na capital egípcia, em setembro, quando foram erguidas várias bandeiras LGBT durante o espetáculo. Desde setembro, segundo a BBC, já foram detidas cerca de 75 pessoas.

Dos 16 homens que foram condenados, 14 estão acusados de “incitar à depravação” e de praticar “relações sexuais anormais”.

Lei

É necessário lembrar que muitas destas detenções foram feitas devido à utilização de aplicações para marcar encontros online.

A homossexualidade não é explicitamente considerada crime no Egito. No entanto, as autoridades têm usado uma lei de 1961, que diz respeito à prostituição, para prender pessoas que pratiquem relações com pessoas do mesmo sexo.