tn_Guardas participam de palestra sobre prevenção ao câncer de próstata

Uma agente, que é enfermeira especializada em oncologia, abordou a saúde do homem em meio ao Novembro Azul

 

Vinte guardas civis participaram de uma palestra na tarde desta sexta-feira (24.11) sobre prevenção ao câncer de próstata e os cuidados que o homem deve ter com a própria saúde. Os agentes puderam tirar dúvidas com a colega Adriana Vital, guarda há 21 anos e que também é enfermeira especializada em oncologia. Ela mostrou os sintomas, os tipos de exames para detecção e tratamentos da doença e falou sobre a importância de quebrar os tabus e preconceitos que existem sobre o tema.

A palestra acontece em meio ao Novembro Azul, o mês que é dedicado a falar sobre a saúde do homem e esclarecer sobre o segundo tipo de câncer que mais causa mortalidade a este público (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma). De acordo com estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), houve mais de 60 mil casos da doença no país no ano passado.

“O que a gente percebe é que os homens sempre dizem que cuidam da saúde, mas basta perguntar um pouco mais que eles mesmo percebem que não bem assim. Muitos têm medo de saber que tem algum problema e existe também o preconceito. Por isso que é importante falar e eu gostei de ver a interação deles, mostrando as dúvidas que tem”, afirmou a palestrante.

Ela explicou aos agentes que as principais formas de prevenção são alimentação saudável, realizar atividade física com frequência, evitar o tabagismo e o consumo de álcool. Os homens que possuem histórico da doença na família devem fazer acompanhamento constante, assim comoos homens com mais de 50 anos.

Os sintomas vão desde dificuldade de urinar, o aparecimento de sangue na urina ou na ejaculação e dor nas costelas, lombar e no próprio sistema urinário. Ao aparecer os sinais, é preciso procurar um médico que vai realizar exame de sangue, de toque proctológico e biópsia. Se a doença é confirmada, o tratamento varia de caso a caso, podendo ir desde a cirurgia, radioterapia ou mesmo terapia com hormônios.

Um dos que acompanhou a palestra foi o comandante da Guarda, Jeferson Calomeni, que completa 50 anos em dezembro. Para ele, a palestra mostrou que é necessário ter mais atenção com a saúde e acredita que a informação é um caminho para eliminar os preconceitos que existem sobre o tema.

“O que me chamou mais atenção foi um dado apresentado na palestra de que a mulher vive, em média, sete anos a mais do que o homem justamente porque cuida mais da saúde. E que com detecção precoce, 95% dos casos são curáveis. Acho que o conhecimento é realmente o primeiro passo para quebrar os tabus e agora vou ter mais cuidado a prevenção”, afirmou ele.

Em Petrópolis há 252 homens em tratamento no Centro de Terapia Oncológica (CTO). Em casos cirúrgicos, o paciente é encaminhado ao Hospital Alcides Carneiro que realizou neste ano 535 cirurgias urológicas, sendo 68 oncológicas, além de 1.072 consultas de pré-operatório. O município mantém o programa de Saúde do Homem, que reforça a necessidade do público masculino ficar atento às doenças cardíacas, urológicas, sexualmente transmissíveis além do controle da pressão arterial, diabetes, entre outras.

 

Coordenadoria de Comunicação Social
Prefeitura de Petrópolis