Paulo RattesPaulo Rattes morreu na madrugada desta sexta-feira (18), aos 80 anos de insuficiência cardíaca, no hospital Pró-Cardíaco, em Botafogo no Rio de Janeiro, onde estava internado há algumas semanas.

Paulo Rattes foi Prefeito de Petrópolis em três ocasiões, ex-deputado federal pelo MDB e PMDB.

O corpo será velado neste sábado na prefeitura de Petrópolis, e volta ao Rio no domingo, para ser cremado. O ex-prefeito tinha 80 anos, era casado com Ana Maria Rattes e deixa três filhos, entre eles Adriana Rattes, secretária de Cultura do Estado do Rio.

Paulo Rattes erá filho de José de Morais Rattes e Noêmia da Costa Alves Rattes. Engenheiro Agrônomo formado em 1955 pela Escola Nacional de Agronomia e advogado formado em 1978 na Faculdade de Direito de Valença iniciou sua carreira política no MDB como vice-prefeito de Petrópolis na chapa de Paulo Gratacós, a quem substituiu quando de sua cassação pelos militares em 1969. Após cumprir o restante do mandato foi eleito prefeito da cidade em 1972 e conquistou um mandato de deputado federal em 1978.
Com a restauração do pluripartidarismo ingressou no PMDB e foi eleito prefeito de Petrópolis em 1982 para um mandato de seis anos ao longo do qual foi coordenador da campanha de Moreira Franco ao governo do Rio de Janeiro em 1986, ano em que sua esposa, Ana Maria Rattes, foi eleita deputada federal. Com a eleição de Moreira Franco acumulou por alguns meses a prefeitura com os cargos de Secretário de Governo e Secretário de Assuntos Especiais. Pré-candidato a senador em 1990, abdicou da disputa por razões de saúde. Retornou à política como candidato a prefeito de Petrópolis em 1996, mas foi derrotado por Leandro Sampaio (PSDB) e teve como derradeiro cargo público a Secretaria de Governo sob Rosinha Garotinho.

O prefeito de Petrópolis, Rubens Bomtempo, decretou luto oficial por três
dias pela morte do ex-prefeito.