tn_Mairom-Duarte---Foto-Érica-Shakespeare já dizia: empreender ou não empreender!

Na verdade não era bem isso que Shakespeare dizia. Sua frase é “SER OU NÃO SER! EIS A QUESTÃO!”. Mas, se equipararmos ao empreendedorismo, a frase faz todo o sentido. Ninguém “está” empreendedor. A pessoa “é ou não é” empreendedora. Ninguém é empreendedor momentaneamente.

 

Empreender é ter coragem de correr atrás de um objetivo. Às vezes o perfil empreendedor aparece em uma situação de crise, onde se tem que sair de uma determinada situação de qualquer maneira. Nessa hora são buscadas soluções. Surge uma ideia luminosa no âmago, no ser. Nesse momento há o empoderamento de forças até então desconhecidas. E, tempos depois, quando o empreendimento está em franco crescimento alguém vem e pergunta: ué fulano? Como você conseguiu fazer isso? Isso era impossível? E o empreendedor responde: Jura? Ninguém me falou que era impossível e eu fui lá e fiz!

 

Para empreender basta ter uma boa ideia, inovadora. Daí basta transformá-la em realidade e pronto. Correto? Espera! Volte a fita! Não é bem assim não. Essa história de uma ideia na cabeça e uma filmadora na mão, raramente resulta em coisa boa.

 

Óbvio que para se empreender deve existir uma ideia, alguém para colocá-la em prática e capital para os investimentos iniciais. Porém, ainda que haja essas condições iniciais, as ótimas ideias podem resultar em falência. E por que isso ocorre?

 

Existem causas bem simples para isso acontecer com certa frequência. No afã de empreender, se cai na armadilha do Glauber Rocha: ideia e filmadora na mão. É esquecido um simples fato: como eu vou controlar esse empreendimento e avaliar se o mesmo está indo bem ou não? Sem esse controle e acompanhamento dos números, não se sabe de forma clara se ele está caminhando para o sucesso e na direção correta. Essa é a parte chata que o empreendedor não se preocupa em colocar junto com sua ideia de sucesso. E ele não se preocupa por dois motivos: por que é muito chata e/ou por que a desconhece.

 

Para empreender tem que “ser” ousado e contido. Ouse, mas com os pés no chão. Seja empreendedor completo. O mais difícil você tem: ideia e ousadia. Inclua nesse bojo técnicas de controle e de análise. Peça ajuda nessa área. Isso fará toda a diferença na longevidade do seu empreendimento. O Diretor de Aluguel complementa o empreendedor e dá todo o suporte para garantir longa vida ao empreendimento. mairom.duarte@csalgueiro.com.br.

 

* Mairom Duarte é Consultor em Gestão de Negócios e atua há mais de 25 anos em Consultoria de Gestão Empresarial.

 

SERVIÇO

MAIROM DUARTE

Mairom Duarte é Petropolitano. Atualmente é Diretor da COSTA SALGUEIRO Consultoria, onde é associado desde 2000, empresa também de Petrópolis. É Engenheiro Eletricista pela UFRJ (1983). Possui larga experiência em Consultoria Empresarial, tendo trabalhado por 14 anos na Accenture Consulting e 3 anos na Ernst & Young Consulting. É especialista em gestão de negócios, participando e coordenando projetos de reestruturação empresarial e implantação de sistemas de gestão integrada em empresas de grande porte como Petrobras, Votorantin, Jornal do Brasil, Vivo, Light, Coelba, Braspetro Colômbia, Karsten, CPFL, Grupo Industrial João Santos, Cimento Mauá, Braskem, entre outros.

Em Petrópolis a Costa Salgueiro deixa sua marca em diversas empresas da cidade tais como Vassouras Rossi, Telas São Jorge, CTO – Centro de Terapia Oncológica, Grupo Tribuna de Petrópolis entre outras.

 

COSTA SALGUEIRO CONSULTORIA – GESTÃO DE NEGÓCIOS

Edifício Pio XII

Rua Marechal Deodoro, 119 – sobreloja 19

Centro – Petrópolis/ RJ

(24) 2237-9500/ (24) 98114-3677 (WhatsApp)

www.csalgueiro.com.br

mairom.duarte@csalgueiro.com.br