tn_IMG_8147

Famílias da Servidão Nelson Veríssimo Caetano, no Contorno, que precisaram deixar suas casas na tarde de sábado (11.11), como medida de segurança, começaram a receber no fim da tarde desta segunda-feira (13.11) os cheques para auxílio a moradia. O apoio as 40 famílias é resultado de uma petição protocolada pelo município junto ao judiciário que, em decisão emitida durante a madrugada de domingo, estendeu a estas famílias os direitos já garantidos a 55 outras que moram na área de entorno à cratera que se abriu na terça-feira (07.11).  O deslizamento que abriu a cratera aconteceu às margens da rodovia, na altura do quilômetro 81, sentido Rio em uma área onde estava sendo construído um túnel. A Concessionária, que administra o trecho Rio –Juiz de Fora, é a responsável pela construção, cujas obras estão paralisadas desde junho do ano passado.

“Desde o primeiro momento o município vem atuando em apoio aos moradores atingidos. Temos equipes da Assistência Social, Defesa Civil e Guarda Civil permanentemente no local. Paralelo a este trabalho de campo, a Procuradoria vem adotando medidas jurídicas que estão garantindo – com o apoio da Defensoria Pública, dos Ministérios Públicos Federal e Estadual, e a agilidade do judiciário – que as famílias que estão sofrendo com esse problema sejam amparadas, o que é o nosso principal objetivo neste momento”, afirma o prefeito Bernardo Rossi.

A entrega dos cheques foi feita no fim desta tarde no Centro Comunitário do bairro, onde funcionam projetos do Aldeia Rio – local utilizado como ponto de apoio para os moradores.

“É muito triste o que está acontecendo, por toda história que temos aqui. Mas fico feliz em ver que a prefeitura correu atrás e ajudou a pressionar a Concer. Ficamos felizes por essa primeira ajuda, isso mostra que não estamos desamparados”, declara Roberto Carlos Firmino, que tem 48 anos e é nascido e criado na comunidade.

Com ele concorda a moradora Rosane Lopes Barbosa, moradora no Contorno há mais de 30 anos. “Foi um grande susto no sábado. Mas o atendimento da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros foi rápido e eficaz, nos dando todo o suporte e ajuda. Estamos correndo atrás de outra casa para ficar e esse dinheiro vai ajudar bastante”, disse.

Moradora do Contorno há 15 anos, Jane Souza também se sente mais tranquila com o auxílio. “Os agentes da Defesa Civil conseguiram convencer o meu marido a sair de casa. Ele queria ficar mesmo com a casa interditada. O atendimento foi exemplar. Ficamos chateados pela falta de atitude da Concer nos últimos dias. Mas hoje tivemos uma primeira reunião e agora recebemos esse valor que já vai nos ajudar”

Em reunião na tarde desta segunda-feira (13.11) na Procuradoria Geral do município, com a presença do procurador da República, Charles Stevan da Motta Pessoa (Ministério Público Federal), dos defensores Públicos Cleber Alves e Andrea Carius de Sá e advogados da Concer, os representantes da Concessionária informaram que nesta terça-feira (14.11) será feita a entrega de cestas básicas e kits de higiene pessoal para os moradores.

Na reunião começaram a ser feitos os ajustes ao Termo de Compromisso, solicitados pelo Judiciário, que na sexta-feira proferiu decisão homologando em parte o acordo.

Em audiência especial realizada na sexta-feira (10.11), na Prefeitura, o titular da 4ª Vara Cível, juiz Jorge Luiz Martins já havia determinado que a concessionária arque com o pagamento de R$ 1 mil e cestas básicas para cada umas das famílias 55 atingidas, porém antes de homologar termo de compromisso firmado entre a Defensoria Pública, a prefeitura e a Concer, o magistrado exigiu adequações que possam garantir de que futuramente as famílias não serão prejudicadas com possível cessar do apoio.

 

 

 

 

Coordenadoria de Comunicação Social
Prefeitura de Petrópolis