tn_Escola SESI Petrópolis leva linguagem da programação para a sala de aulaEstudantes das turmas do Ensino Fundamental participaram da Hora do Código

Mais do que habilitar os jovens nas ciências da computação, as aulas de programação têm como proposta o estímulo da criatividade, raciocínio lógico e do trabalho em equipe. Por isso, estudantes da Escola SESI Petrópolis participam até sexta-feira (11) da Hora do Código – movimento mundial que estimula a prática da lógica de programação.

Criado pela Code.org, a Hora do Código é um movimento global que busca mostrar que a linguagem de programação está ao alcance de todos. A ideia é programar por uma hora a cada dia, durante uma semana, realizando atividades sozinho, em família ou com amigos, mostrando que a tecnologia pode ser uma facilitadora para a educação. Estudantes de toda unidade participam do evento escrevendo linhas de programação ou construindo jogos.

Mais do que ensinar a linguagem dos computadores, a proposta é apresentar as crianças e jovens a lógica por trás de todas elas, enfatizando como se estrutura a “conversa” com os computadores e assim, criar pessoas que pensam, investigam e resolvem problemas.

Cristiane Alves, professora do 1º ano do Ensino Fundamental é uma entusiasta da linguagem da programação e das novas tecnologias educacionais. Segundo ela, o que parece um bicho de 7 cabeças para muitos na verdade é uma forma de evidenciar competências que serão fundamentais para a formação intelectual do aluno. “Esse trabalho nos ajuda a desenvolver certas habilidades que a programação exige dos estudantes, como raciocínio lógico, causa e consequência, raciocínio matemático, linguística, elaboração de projetos e comunicação de ideias, temas que estão inseridos no dia a dia”, explica.
Segundo a professora, os estudantes recebem com facilidade a proposta e colocam em prática suas tarefas, como a criação games, por exemplo. “Temos crianças que já estão realizando atividades que teoricamente seriam mais avançadas dado ao grau de aprendizagem e facilidade em entender aquilo, já que passaram por esse processo durante todo o ano letivo”, completou a professora.
Em um mundo conectado e tecnológico, a metodologia convencional desperta cada vez menos a curiosidade, por isso, é preciso aceitar que unir forças com apps e multiplataformas tem papel decisivo nas escolas.

“A metodologia SESIeduca traz uma abordagem inovadora, centrada nos alunos e focada na construção do seu conhecimento e na busca pelo desenvolvimento da sua autonomia. Usar as novas tecnologias, games, aplicativos e ferramentas lúdico-pedagógicas vem corroborar essas premissas e contribuir para uma educação diferenciada e completa”, explica a coordenadora da Educação Básica da unidade Petrópolis, Ana Paula Lanhas de Lemos.

Neste ano, a Hora do Código vai atingir dezenas de milhões de alunos em mais de 180 países e não impõe qualquer experiência anterior com a tecnologia. O movimento criado nos Estados Unidos e apoiado por nomes como o fundador da Microsoft, Bill Gates e o criado do Facebook, Mark Zuckerberg.

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação