tn_Cães da Guarda ajudam a encontrar drogas na cidadeAnimais usados para detecção já localizaram 6 mil pinos de cocaína e também ajudam municípios vizinhos no combate ao tráfico

 

Desde que o canil da Guarda Civil foi inaugurado, em abril, os cães de detecção já ajudaram a encontrar mais de 6 mil pinos de cocaína, além de outras drogas. Dois pastores holandeses foram treinados para localizar entorpecentes, armamento e munição, o que tem contribuído para combater o tráfico não só em Petrópolis, como também em municípios vizinhos. Já na última quarta (20.08), os cães localizaram 300 gramas de maconha que estavam enterrados, no Parque Natural, na Ipiranga.

Ainda antes do início do funcionamento efetivo canil, em março, os cães atuaram em uma operação na Favela do Sapinho, na cidade de Duque de Caxias, quando foram encontrados aproximadamente meio quilo de maconha.

Em junho, os cães ajudaram a encontrar 50 pinos de cocaína, 200 gramas de maconha e 150 gramas de haxixe, no Centro. Na ocasião, duas pessoas foram presas em flagrante e três menores de 18 anos foram apreendidos. Já no mês passado, as maiores apreensões que o canil conseguiu até agora: os cães achar 4 quatro mil pinos de cocaína no Quarteirão Brasileiro e outros dois mil na Comunidade do Alemão. Ainda antes do início do funcionamento efetivo canil, em março, os cães atuaram em uma operação na Favela do Sapinho, na cidade de Duque de Caxias, quando foram encontrados aproximadamente meio quilo de maconha.

“Em geral, as operações ocorrem em conjunto com a Polícia Militar, mas nesse último caso, foi uma ação própria da Guarda. Estamos fazendo rondas de patrulhamento utilizando os cães periodicamente. E foi em uma delas que os cães encontraram essa quantidade de maconha, não estava visível, ou seja, talvez não fosse possível encontrar sem a ajuda do cão”, explica o comandante da Guarda, Jeferson Calomeni.

O canil foi inaugurado há cinco meses e abriga oito cães adultos e mais quatro filhotes. Além da detecção de drogas, os animais participam de ações para contenção de brigas (como em manifestações) ou para trabalho em grandes eventos e para terapia de pessoas doentes (cinoterapia). Dos menores, dois estão sendo preparados para atuarem no salvamento em escombros.

O espaço tem oito baias, mas será ampliado com ajuda de parceiros para abrigar os filhotes quando eles crescerem. Também é com colaboração de parceiros que é feita a alimentação, medicação e atendimento veterinário. São nove guardas e mais o coordenador técnico, Leandro Lopes, e o coordenador operacional, guarda Vinicius Silva, que cuidam dos animais.

“Os cães já são utilizados em choque de ordem e para ajudar na segurança durante os grandes eventos da cidade, como a Expo e a Bauernfest. Os animais prestam um serviço extremamente importante para Petrópolis e ainda vão oferecer muito mais. Eles são capazes de contribuir para dar tranquilidade aos petropolitanos e é para isso que nós estamos trabalhando com o canil”, diz o secretário de Serviços, Segurança e Ordem Pública, Djalma Januzzi.

Coordenadoria de Comunicação Social
Prefeitura Municipal de Petrópolis