IF

As reclamações provenientes de pacientes que são obrigados a ficar na fila do ambulatório do Hospital Alcides Carneiro (HAC) para conseguir um número de atendimento são constantes.

Diante deste fato, o vereador Silmar Fortes (PMDB), presidente da Comissão em Defesa da Saúde, a vereadora Gilda Beatriz (PMDB), vice-presidente da comissão, e os vereadores Pastor Sebastião (PSC) e Luizinho Sorriso (PROS), realizaram uma visita à unidade hospitalar e conversaram com diversos usuários da rede.

Os relatos deixaram os vereadores estarrecidos. Muitos idosos e gestantes aguardavam na fila desde as 2h30 da manhã para conseguirem uma senha. A triagem para ginecologia e obstetrícia acontece apenas às quintas-feiras com a distribuição de apenas 30 números que são insuficientes para o atendimento. Houve relatos de pessoas que chegaram às 21h do dia anterior e passaram a noite na fila para obter atendimento.

A paciente Erica Costa Freitas, que estava acompanhada pelo marido, Adriano de Mello Garcia, chegou de madrugada e temia não conseguir o atendimento.

“É a primeira vez que eu venho aqui para um pré-natal. Mas ouvi que tínhamos que chegar aqui muito cedo, de madrugada se possível. Acho isso um desrespeito, mas eu preciso do atendimento”, disse Erica consternada.

Muitos usuários do sistema de saúde do município vão até o ambulatório por que não conseguem agendar consultas pelo 0800. O problema com a ginecologia e obstetrícia foi uma das maiores queixas. Uma paciente relatou que estava sem fazer preventivo há mais de um ano, pois nunca consegue chegar a tempo de conseguir um número para ser atendida. Outro ponto a ser destacado é que o aparelho que realiza o teste do olhinho nas crianças está quebrado a mais de um mês.

Para Silmar Fortes, essa situação é totalmente inaceitável e espera que haja uma humanização no atendimento aos pacientes que ficam na fila.

“Uma senhora, com 78 anos, disse que estava na fila desde as duas da manhã. Como uma situação como essa pode ser considerada normal e aceitável? Estamos mantendo uma agenda de visitas as unidades hospitalares e vamos denunciar todos os problemas e cobrar medidas por parte do governo municipal. A Comissão em Defesa da Saúde está atuante e vigilante”, afirmou Silmar Fortes.

A vereadora Gilda Beatriz disse que “os vereadores tem o dever de cooperar e ajudar para que a saúde do município melhore. A comissão procura cumprir bem o seu papel e estamos fiscalizando todas as demandas”, disse a vereadora Gilda Beatriz.

A paciente Silvana Raimundo Coelho, também estava insatisfeita com o tratamento dispensado aos pacientes que são obrigados a suportar o longo tempo na fila.

“Estou aqui desde a madrugada porque morro de medo de não conseguir a senha. Tomara que essa situação melhore um dia”, salientou a paciente.

O vereador Pastor Sebastião salientou que “essa situação não pode continuar assim. Falei com duas pacientes que estavam na fila desde a madrugada, debaixo do sereno e estavam temerosas de não serem atendidas. Isso é desumano”.

O vereador Luizinho Sorriso também não gostou do que viu e ressaltou que “é preciso que os pacientes sejam tratados com mais carinho. Esse sistema não atende o desejo dos usuários da rede municipal de saúde. Espero que isso seja revisto”.
Texto: Assessoria
Foto: Divulgação