De olho em 2018, deputados defendem que membros do partido investigados na operação se afastem de cargos de direção

Um grupo de deputados do PMDB ensaia uma campanha contra colegas de partido citados na Operação Lava Jato. A ideia é afastá-los de cargos de chefia na legenda antes das eleições de 2018.

De acordo com a coluna Painel, do site do jornal Folha de S. Paulo, o deputado Carlos Marun lidera o grupo. Aliado do deputado cassado Eduardo Cunha, Marun chegou a visitá-lo na prisão em Curitiba.

“Não podemos passar a campanha de 2018 inteira nos defendendo da Lava Jato. A direção precisa estar isenta para não contaminar o partido”, diz o deputado.

A medida atingiria caciques da legenda, como o líder do governo no Congresso e presidente da legenda, Romero Jucá.