Pelo menos 200 mil empresas não fizeram recolhimento para o Fundo

Cerca de sete milhões de trabalhadores podem ficar sem saldo nas contas inativas do FGTS. O motivo é que diversas empresas não fizeram recolhimento para o Fundo. O total deste débito, segundo informações da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), é de R$ 24,5 bilhões, valor que estão inscritos na dívida ativa da União.

De acordo com o jornal O Globo, a PGFN não consegue identificar entre os prejudicados quem tem direito ao saque, pois os valores não estão individualizados.

Ao todo, 198.790 devedores estão na lista de débitos com o FGTS da Procuradoria. Há empresas falidas, débitos antigos e recentes, dinheiro em cobrança administrativa e judicial, entre outros.