IPTU

Até o dia 10 de janeiro, todos os contribuintes estarão com os carnês do IPTU 2014 em mãos para pagamento. Os petropolitanos devem aproveitar os descontos, maiores que 2013, para o pagamento em cota única que chegam a 12%. Quem não receber o carnê do imposto deve procurar imediatamente a secretaria de Fazenda (Rua 16 de Março, nº 183) ou ainda emitir o documento pela internet no site da Prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br).
O reajuste do IPTU para este ano levou em consideração a média de dois índices: o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que foi de 5,99% e o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), de 8,16%. “Em cima dessa média ainda reduzimos o reajuste para 2014 em 3% e chegamos a um percentual de 6,86% de aumento”, explicou o secretário de Fazenda, Paulo Roberto Patuléa.
Os descontos de 12% valem para a primeira cota, que vence dia 21 de janeiro. Quem continuar optando pelo pagamento à vista ainda pode se beneficiar com os descontos de 10% com vencimento no dia 17 de fevereiro ou ainda 7% no prazo final de 17 de março.
Apenas o contribuinte que estiver em dia com o município terá direito aos descontos.
“Não perderá essas condições especiais quem procurar a secretaria para regularizar a situação”, ressaltou Patuléa, informando ainda que os débitos podem ser quitados em até 120 parcelas.
Para isso, a Prefeitura montou um atendimento especial com dois postos: um na própria secretaria de Fazenda, na Rua 16 de Março, nº183 e outro na secretaria de Planejamento, na Rua da Imperatriz, nº264. As unidades vão funcionar de segunda a sexta-feira, das 10h às 18h a partir desta primeira semana de janeiro.

Nome no Serasa – Os contribuintes, pessoa física ou jurídica, que possuírem cinco inscrições ou mais no cadastro imobiliário da secretaria de Fazenda e não estiverem em dia com os tributos relativos aos imóveis, terão seus nomes ou razão social inscritos nas instituições de proteção ao crédito enquanto não quitarem seus débitos com o município.
“Com essa iniciativa estaremos promovendo, sobretudo, justiça fiscal e preservando o contribuinte que realmente utiliza seu imóvel como bem de sua família e o bom pagador, aquele que está em dia com seus impostos e obrigações com o município”, finalizou Patuléa.

Ascom PMP