industria

De acordo com a Federação, a indústria operou, em média, com 56% da capacidade instalada em setembro. Este foi o pior resultado da série, iniciada em 2010

A Sondagem Industrial, divulgada pelo Sistema FIRJAN nesta sexta-feira, dia 18, aponta que, em setembro, houve redução da atividade industrial em Petrópolis. Apesar de menos intensa, houve nova queda do indicador de volume de produção, que registrou 44,7 pontos. O resultado causou reflexos no mercado de trabalho, que apresentou redução no número de empregados (42,3 pontos). A pesquisa varia de zero a cem pontos. Os valores abaixo de 50 indicam redução ou pessimismo e acima de 50 representam aumento ou otimismo.

Neste cenário, a indústria do município operou com 56% da capacidade instalada. Este foi o pior resultado da série, iniciada em 2010, e bem abaixo da média histórica (66,4%).

A Sondagem também aponta que, apesar da melhora na comparação com a última pesquisa, a situação financeira das empresas continuou ruim (38,7) no terceiro trimestre, diante da redução da margem de lucro (33,8) e da piora no acesso ao crédito (31,5).

A pesquisa aponta que a perspectiva de aumento das exportações (58,3) para os próximos seis meses sustentou as expectativas de aumento da demanda por produtos e, consequentemente, da compra de matéria-prima. Apesar disso, os entrevistados projetam uma redução no número de empregos (48,2), ainda que este movimento seja menos intenso do que o observado nos meses anteriores.

Confira no link:

http://www.firjan.com.br/lumis/portal/file/fileDownload.jsp?fileId=2C908A8F57BEC0A801582A471E3E0715&inline=1

 

Sondagem Industrial Região Serrana - Petrópolis

A Sondagem Industrial apontou redução da atividade na região Serrana em setembro. Apesar de menos intensa, houve nova queda do indicador
volume de produção (44,7), com reflexos no mercado de trabalho, que apresentou redução no número de empregados (42,3). O nível de estoques
(50,0) manteve-se estável e dentro do planejado (50,0).

 

Nível de Atividade

Volume de Produção                           – 44,7
Número de empregados                    -  42,3
Nível de estoques                                + 50,0
Estoques Efetivo/Planejado             + 50,0

Nesse cenário, a indústria da região Serrana operou, em média, com 56% da capacidade instalada em setembro, pior resultado da série e bem abaixo da média histórica (66,4%).

       A insatisfação com relação às condições financeiras continuou disseminada entre os empresários industriais da região. Apesar da melhora na comparação com o trimestre anterior, a situação financeira das empresas continuou ruim (38,7), diante da redução da margem de lucro (33,8) e piora do acesso ao
crédito (31,5).

Condições Financeiras

Situação financeira                            38,7
Margem de lucro                                33,8
Acesso ao crédito                                31,5

 

Para os próximos seis meses, os empresários da  região Serrana mostraram-se otimistas. A perspectiva de aumento das exportações (58,3) sustentou as expectativas de aumento da demanda por produtos (55,4) e, consequentemente, da compra de matérias primas (52,3). Apesar disso, os empresários
entrevistados projetam redução do número de empregados (48,2) nos próximos meses, ainda que este movimento seja menos intenso do que o
observado nos meses anteriores.

Expectativas

Demanda por produtos                    55,4
Compra de matéria-prima               52,3
Número de empregados                   48,2
Exportação                                          58,3

 

METODOLOGIA:
Período de coleta: 1º até 14 de outubro

A Sondagem Industrial é um levantamento de opinião empresarial, que tem como objetivo identificar as situações passadas e expectativas futuras da indústria. A Sondagem é realizada mensalmente desde setembro de 2010 pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN) em parceria com Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os indicadores variam no intervalo de 0 a 100, valores acima de 50 pontos indicam aumento/otimismo. Para a análise foi usada uma margem de erro de um ponto.

 
Texto: Assessoria
Foto: Divulgação