Faltam 100 dias para a Copa do Mundo FIFA

Em Brasília os preparativos estão avançados em áreas como mobilidade urbana, segurança, saúde e turismo
BRASÍLIA – Daqui a exatos 100 dias, o Brasil será o centro das atenções em todo o mundo. A Copa do Mundo da FIFA™ reunirá no país milhares de brasileiros e turistas estrangeiros em 12 cidades-sede, ansiosos para assistir aos 64 jogos que definirão a seleção campeã do mundo em 2014.

Brasília, que receberá sete partidas – número máximo definido pela FIFA –, estará pronta para acolher os moradores e os visitantes da cidade.

Para isso, foram feitos investimentos em áreas prioritárias, como mobilidade urbana, segurança pública, saúde e turismo. Melhorias em infraestrutura e serviços, capacitação de mão de obra e aquisição de equipamentos e novas tecnologias são alguns dos avanços que farão a diferença durante o megaevento, mas, sobretudo, ficarão como legado para os brasilienses.

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, destacou a importância de Brasília como cidade-sede da Copa do Mundo. “O trabalho que vem sendo feito coloca a nossa cidade em condição de receber muito bem o evento, que é uma grande oportunidade para o desenvolvimento humano e econômico da nossa capital. Todo esse investimento representa emprego, renda e possibilidade de atrair turistas e investidores”, afirmou.

DESENVOLVIMENTO – Nada disso seria possível se não fosse a construção do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. Inaugurada em maio do ano passado, a arena provou seu potencial multiuso e recebeu, de lá para cá, 30 eventos entre jogos de futebol, shows e eventos institucionais. Mais de 655 mil pessoas estiveram no estádio desde então. Quase o dobro do antigo Mané, que reuniu 340 mil espectadores em 36 anos de história.

“Estamos prontos. O estádio está em plenas condições, poderia receber um jogo da Copa imediatamente. Com certeza vamos dar show”, ressaltou o secretário Extraordinário da Copa, Claudio Monteiro.

Cada evento na arena gera 2 mil empregos diretos e indiretos. O impacto na economia é de R$ 12 milhões, segundo dados da Companhia de Planejamento do DF (Codeplan).

Mais uma prova de que o estádio vai muito além de um espaço destinado apenas ao entretenimento é que, para cada R$ 1 investido na construção da arena, o GDF garantiu outros R$ 3 para infraestrutura, mobilidade urbana e segurança. São R$ 4 bilhões em recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal, somados ao orçamento local.

TRANSPARÊNCIA – E todos esses investimentos foram feitos de forma transparente. Tanto que Brasília é a cidade-sede com maior transparência na prestação de contas sobre os recursos destinados à Copa do Mundo da FIFA™. A capital do país recebeu nota 77,26 em uma escala de 0 a 100 – quase seis pontos a mais que a segunda colocada, Porto Alegre.

Confira no Portal Brasília na Copa as principais ações e obras na cidade para a Copa do Mundo, ponto a ponto, por setor.

Ascom GDF
Foto: Pedro Ventura/Arquivo