jatos F-18O ex-embaixador do Brasil Thomas Shannon afirmou ontem que os Estados Unidos estão desiludidos com a escolha dos caças suecos na licitação da Força Aéria Brasileira (FAB).

Para o ex-embaixador, a Boing fez um excelente trabalho para vender os jatos F-18, e, por isso, os EUA estavam confiantes. O político, não descartou, no entanto, que o escândalo de espionagem entre os dois países tenha pesado na decisão.

“Obviamente, estamos muito desapontados com o resultado, estávamos esperançosos, porque a Boeing fez um trabalho magnífico. Mas dou meus parabéns aos suecos e à FAB, é algo que eles (da FAB) queriam há muito tempo”, expôs.

“Reconheço a seriedade do assunto e o impacto na relação, especialmente na forma como os brasileiros entendem essa relação”, disse quanto à alegada espionagem. “Isso levanta diferentes imagens. O ex-chanceler Antonio Patriota disse que o caso impôs uma sombra à relação, outros falaram sobre confiança e respeito”.

Segundo o Departamento de Estado dos EUA, a escolha dos caças da Boeing seria mais apropriada para o Brasil, ao permitir a coprodução e a transferência de tecnologia de ponta. Para Shannon, contudo, a cooperação entre os dois países não será alterada.

“Isso não vai afetar nossa relação de longo prazo com a FAB, uma grande força; o brigadeiro (Juniti) Saito (comandante da Aeronáutica) é um grande homem, um bom amigo e está comprometido com a efetividade do processo (de compras da Aeronáutica) ”, prometeu.