tn_Emprego na indústria brasileira
O emprego na indústria brasileira caiu 0,3% em dezembro na comparação com novembro e encerrou 2013 com queda acumulada de 1,1%, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta terça-feira (11), no Rio. Na comparação com dezembro de 2012, o total de pessoal ocupado na indústria recuou 1,7%. Já o número de horas pagas acumulado no ano recuou -1,3%. Quanto ao valor da folha de pagamento real, o acumulado em 2013 avançou 1,2%.

A média móvel trimestral do pessoal ocupado também assinalou variação negativa de 0,1% no trimestre encerrado em dezembro e permaneceu na trajetória descendente iniciada em abril último. Ainda na série com ajuste sazonal, na comparação trimestre contra trimestre imediatamente anterior, o emprego na indústria recuou 0,5% no período outubro-dezembro de 2013. Foi a quarta taxa negativa consecutiva nesta comparação, mas com ritmo de queda menos intenso que o observado no terceiro trimestre do ano (-1,0%).

Na comparação com iguais períodos do ano anterior, o emprego industrial mostrou queda de 1,7% tanto no índice mensal de dezembro de 2013, vigésimo sétimo resultado negativo consecutivo nesse tipo de confronto e o mais intenso desde setembro de 2012 (-1,9%), como no quarto trimestre de 2013. No acumulado em doze meses de 2013, o pessoal ocupado na indústria recuou -1,1%, queda ligeiramente menor do que a verificada no fechamento de 2012 (-1,4%). A taxa anualizada, índice acumulado nos últimos doze meses, ao recuar 1,1% em dezembro de 2013, repetiu o resultado de novembro e apontou perda ligeiramente mais elevada que as observadas nos meses de agosto, setembro e outubro (todas com -1,0%).

No confronto com igual mês do ano anterior, o emprego industrial recuou 1,7% em dezembro de 2013, com o contingente de trabalhadores apontando redução em doze dos quatorze locais pesquisados. Os principais impactos negativos sobre a média global foram observados em São Paulo (-2,4%) e na Região Nordeste (-3,1%), pressionados em grande parte pelas reduções no total do pessoal ocupado nas indústrias de produtos de metal (-14,7%), máquinas e equipamentos (-6,2%), outros produtos da indústria de transformação (-9,7%), meios de transporte (-2,9%) e produtos têxteis (-3,9%), no primeiro local, e de alimentos e bebidas (-4,2%), calçados e couro (-4,1%), refino de petróleo e produção de álcool (-11,4%), produtos têxteis (-5,5%) e vestuário (-2,6%), no segundo.

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação